sábado, 30 de abril de 2011

Difilculdade

A dificuldade não é
Não ouvir a Voz.
é ouvi-lA
Sentir tudo estremecer
Queimar e incendiar
Ecoar e martelar
E tudo está prestes a sair do lugar
Mas não sai.
Esse é o problema.

Christopher Vicente 01-05-11

Psicanálise

Os psicanalistas
Que seguem a linha de Freud
Dizem ser Ato falho
Sublimação de algo que se quer gritar

Pois é.
Estes atos falhos
são mais que conscientes
Nada de sub, ou pré.
talvez pré
pelo pré ocorrente

Atos falhos que estão nas linhas
Sobre as linhas, entrelinhas
Sob as linhas
Sobre o coração, sob mente
intra-boca e entre-meditação

Não quero psicanalistas
Quero O criador do amor
Para me analisar
E dizer o que fazer
Pra onde vou?

Ele é que pode dizer
Não precisa ver
Ato falho algum
Sub-consciente nenhum
e o consciente mente.
ele já me conhece por inteiro
Sabe quando me assento
e quando levanto
Quando falo e quando calo
Quando amo e quando engano

Esperarei o resultado do exame
Quem sabe dê positivo?!!!!

Christopher Vicente 01-05-11

Quem é que o levanta


Luta...
corre...
Tropeça...
cai...
levanta...
não! ...é levantado....
corre de novo...
na mesma estrada...
luta com o mesmo inimigo
e com a mesma espada...
...e...cai...
descobre novos não-amigos...
ao chegar mais perto da Luz...
Luta...
e cai...
tropeça...e
cai...
É levantado...
Advertido...
caminha....
e Cai...
Cai...
Cai...
cansei...
cansei...
cansei...
De lutar...
De correr...
de cair...



Marcas de quedas nos joelhos
Comprovam o fraqueza
desse que cai...
marcas de sangue na mão dele
Lembra-o sempre
Quem é que o levanta...


Christopher Vicente 01-05-11

A história se repete

É por mais que eu lute
a história se repete
Como um ciclo vicioso
Mesmo espaço de tempo
O mesmo contento
Os mesmos questionamentos
Muda só o que é diferente

Mas a primeira experiência
Ensinou-me, a dentre outras coisas,
Esperar e descansar
Os velhos passos eu não vou seguir
Passos que atrapalharam
Ao que sempre quis pra mim

Ciclo se repete.
Mas quebrarei esse ciclo
Mas não vou me enganar e iludir
Como quem tapa o sol com a peneira
Esperarei o opaco - se ela vier,
Para descansar na sobre do amor.

Christopher Vicente 01-05-11

Quanto a Obra de Cristo

Quanto a Obra de Cristo.
Estude com diligencia e disciplina. Ensine com fidelidade, paixão e convicção. Viva como estuda e ensina; e a tudo isso some a essência dessa Obra: o amor.

Christopher Vicente 30-04-11

Sussurros ao Vento - Menininho

Mais uma vez o menininho
Estava andando, caminhando e pensando
E sussurrava baixinho ao vento
Como quem quisesse gritar

Um amigo parou e perguntou:
Menininho, estás louco?
Por que sussurras ao vento?

Caro amigo, sussurro ao vento
Não atoa. Não estou louco.
Não sussurro a qualquer vento
sussurro ao vento do Sul
ao Vento da Vida

Pois quem sabe ele
possa levar esse sussurro
Ao ouvido, coração e face da menininha
Quem sabe ele leve-na um pouco da minha
ansia de gritar ao vento
De falar olhando em seus olhos
O que meus olhos não cansam de falar

O amigo o repreende:
Desiste, menininho.
Para de sonhar com um amor, um carinho
Que já se foi o tempo
Que você deixou passar.
você não tem medo
De esperar alguém
que há muito te esqueceu, menininho?

Não, caro amigo,
Não vou parar -
Pelo menos até primeira ordem -,
"Medo tenho, eu não vou mentir,
Mas os velhos passos eu não vou seguir."

Esperarei
e mesmo entre lágrimas
Pois as lágrimas
Me farão vê-la melhor
Moldarão esse amor
E cada gota forjará
A pedra que aqui está
E no momento certo - se este estiver determinado -,
Darei, não uma pedra,
Mas um diamante

Mas anseio, sim, caro amigo,
A gritar ao vento
Gritar a ela, e quem passar na calçada,
Na igreja, quem caminha pela estrada,
Que a gosto muito. E queria amá-la
Anseio em materializá-lo
em ações
Está perto no momento da lágrima
Está perto no momento do riso
no frio do verão
amá-la.

Christopher Vicente 30-04-11

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Alienados

Não é compatível
Alguém que se diz cristão
e vem com uma conversa
De para de discutir política e ir orar

Ou um "cristão"
que ao terminar de lanchar
Joga fora a embalagem no chão

Ou nem se preocupar
com a atual situação
Da criação do Pai

Vocês são a luz do mundo
Por isso vou iluminar
Vocês são o Sal do mundo
por isso vou salgar e conservar

Se eu, como cristão,
Peregrino nesse mundo,
não desse mundo,
mas nesse mundo,
não me envolver
E me preocupar
Também com a política
E o ambiente
dados a mim para cuidar
Então o que farei?

Deixarei esses vampiros
sugarem o dinheiro público?
deixarei a injustiça vagar?
Deixarei o ambiente ser destruído?

É,
sigamos a incompatibilidade
da primeira estrofe
Mas depois não choremos
Clamando por Deus
E dizendo:
Tem misericórdia.

Christopher Vicente 30-04-11

Meu maior problema

Um pregador certa vez falou:
Se você tem algum problema em sua vida
Vá, abra seu coração, clame,
diga a Deus qual é. Ele resolverá

Fecho os olhos e logo me vem
Vem a mim o maior problema
Na verdade ele já estava lá
até de olhos abertos, a me incomodar

então,
Abro a boca e sussurro
Numa tentativa de materializar
O que já era ciente
A Quem eu ia falar

Deus, o meu maior problema
Que me aflige todo dia, o dia todo
O meu maior problema:
Sou eu.

Essa natureza perturbada,
Caída e por se só perdida
Essa que: não faço o que desejo,
mas o que odeio
que: deseja o que é contrário ao Espírito
Esse eu, e nega em negar-se
Que assusta-me por mais que o tempo passe
Que causa-me tristeza profunda
Que torna minhas palavras cheias de vida pela Vida
Em simples ideias.

Mas estou convencido de que Aquele
que começou boa obra em mim,
vai completá-la até o dia
de Cristo Jesus vir

Estou convicto de que
Ele aperfeiçoá-me a cada dia
Tornando-me a Sua imagem.
Bela e Santa imagem
Irrepreensível imagem

Christopher Vicente 29-04-11

Conversa com a nostalgia

Se nostalgia pudesse falar ela diria: Mata-me, pois não quero afligir-te. Eu responderia: Não dá pra matar-te agora. A arma está muito longe. Conviverei contigo. Até chegar a hora.

Christopher Vicente 29-04-11

Vim para Servir

Numa igreja protestante do século XXI, daquelas grandes, com ar condicionado, poltronas reclináveis, todos os membros de terno e gravata, as mulheres de lindos vestidos - como se tivessem numa competição - e as crianças com roupas de marca, com o nome Jesus Te ama, somos embaixadores de Cristo, tudo estava bem, a não ser pelo aparente sucesso espiritual, quando na verdade sepulcros caiados sentam aos bancos. É nessa igreja que um certo dia aparece O Homem. Simples, não muito bem vestido (nos padrões da igreja), não chamava muita atenção, pois não havia nEle beleza alguma que os atraíssem. Ele sempre chagava acompanhado de prostitutas, ladrões, traficantes, homossexuais - que o ouviam e estavam mudando de vida - que não entravam na igreja com medo de serem taxados, ou julgados e condenados por aquele povo.
Esse Homem entra lá. Nas reuniões, ele arrumava a cadeira, abraçava as criança - todas gostavam dEle -, trocava o garrafão do bebedouro, varria o templo, cuidava do jardim. Muitos os achavam estranho e por isso não se aproximavam dEle.

Num certo evento foi um grande pregador. Desses que lotam um estádio, desses que até os irmãos que não vão ao culto de oração, vão só pra ouvi-lo - como se Deus não falasse através dos seus pastores -, desses que falam o que o povo gosta.
Ele chega e faz logo muitas exigências: Só prego com ar condicionado a 20°C, com duas taça com água de coco a 5°C...
Tudo isso foi difícil de se fazer, pois os irmãos da igreja não estava acostumados a servir.

Então, ao final de tudo isso. Depois de todo o tempo que O Homem passou naquela igreja, Ele não foi notado, muito menos abordado para saberem quem era, como se chamava, se precisava de ajuda, se precisava do ouvir sobre amor de Deus...e ao contrário disso ouvia-se eram sussurrares quando Ele passava, como quem dizia: Oia, quem é esse homem estranho? Ele serve aos outros?! Ele chega a igreja acompanhado do povo do mundo! Ele é muito mulambento!

O Homem se foi sem que ninguém percebesse Ele ou os pecados da igreja diante do Seu Santo padrão. Estava morta ainda em seus delitos e pecados. Não era igreja, só tinha o nome na faxada.



Palavra do Autor: É claro que esse é um texto muito personificativo, mas e se Cristo, O Homem, viesse a igreja protestante, hoje, como Ele seria recebido, quão diferente seria o seu padrão de servo para com o padrão de servo da igreja?

"Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos". Mc 10.45

Christopher Vicente 29-04-11

E agora, o que faço?

Vi e ouvi um casal
Que falou de sua história
individual e matrimônial
Muito me admirei

Disseram:
O propósito que vocês colocaram
Em seus corações
orem e esperem até encontrar
Analisem, filhinhos,
se é a pessoa certa
Seu caráter, sua forma de se portar.

E agora, o que faço?
O propósito determinei
E creio fortemente que já encontrei
A análise já fiz
E por causa disso
forte, real e subitamente me atrai

E agora, o que faço?
Quero gritar ao mundo que a amo
Mas não posso, mesmo ela já sabendo
Mesmo já tendo eu a encontrado
Os encontros e desencontros
Levam-na pra longe
Desencontros necessários e abençoados
Que são propósitos de Deus
Mas e agora, o que eu faço?

Ter um sonho não é fácil
Dois já é difícil
e quando um entrelaça-se ao outro
Tornam-se, humanamente, impossíveis

Mas esperarei,
Se julgo que já encontrei
Não cometerei os mesmos passos errados do passado
Esperarei ela me dizer
Que vale a pena esperar
Para se amar
e ver os sonhos concretizados.


Christopher Vicente 29-04-11

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Serenata de amor

Um serenata de amor
Na escada escanteada
Um gato que você fotografou
Uma noite de conversa e dança,
plena madrugada
Uma fala sábia e mansa
numa roda que se formou

Um mesmo lugar amado e compartilhado
Mesmas amizades se saber que eram amigados
Mesma paixão e desejo
Mesmo anseio e sonho

Um jeito misterioso de se portar
Um sorriso reluzente
Querendo esconder os dentes

Um olhar que chama atenção
Uma alegria que transborda ao chão

E pensar que tudo começou
Quando não sabia nem que tinha começado
Se perdurou,
Mesmo quando errônea e falsamente finalizado
Rebrotou, quando nada se havia planejado
Se manteve, mesmo quando tudo num ponto de vista
indica o final, a decepção, o natural.

Não lembro bem como tudo começou
Mas lembro bem da serenata de amor
Cantada e entregue
Creio que tudo ali se confirmou

As mãos trêmulas pra entregá-la
Coração acelerado como se quisesse fugir dali e ficar parado
Uma mão, duas mãos, um abraço, um sorriso
Uma alegria, um dormir feliz, pensando no outro dia

Um convite pra dançar
Mil conversar pra se falar
Um agenda pessoal
Algumas risadas
Uns passos ensinados
Até duas da manhã, já estava tarde
Um noite mais que feliz.

Uma foto na despedida,
Duas fotos na despedida,
Um te cuida meio introvertido
Um clichê: vamos manter contato, quero te conhecer
Um: fica subtendido tudo isso.

Não lembro bem como tudo começou
Mas lembro bem da serenata de amor
cantada e entregue
Creio que tudo ali se confirmou


Christopher Vicente 28-04-11

Mesmo só

Mesmo só e talvez distante,
teu olhar ainda encontra o meu
Da parede brilha vivo um retrato teu

Foge o sono na madrugada, ante a luz do computador
Medo tenho, eu não vou mentir,
Mas os velhos passos eu não vou seguir

Pelo fogo passei pra te ter, sobre os montes clamei
Um segredo guardei, ainda hoje sonhei com você.

Navegar no teu olhar
é presenciar o mar se acalmando
Destilar teu perfume é presente santo, meu amor

Teu amor me faz lembrar,
que a dor de te esperar vale a pena
Como a ave deixa o seu lugar,
em busca de comida e ninho
Como eu quis ter você aqui,
só Deus sabe o que chorei
Mas as lágrimas fizeram ver você melhor
Nosso Deus me faz companhia,
segura forte minhas mãos
Ele sabe do meu amor,
foi dEle mesmo que brotou

Virtud
http://www.youtube.com/watch?v=q_MOlZLArJs&feature=player_embedded

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Estrelas


Onde estão as estrelas durante o dia
Onde elas escondem
O seu brilho, e por que não dizer poeticamente,
A sua magia?

Elas estão lá
continuam a brilhar
Mas a algo interessante a se relatar

Quando a Estrela da manhã
Brilha no Céu
Em destaque
Quando olhamos pra ela como ela deve ser olhada
Tamanha é a glória
Glória do Pai,
do Filho que brilha como Sol.

Christopher Vicente 28-04-11

terça-feira, 26 de abril de 2011

A vontade de Deus é como um ônibus que nunca se atrasa e nem adianta. Estarás no momento certo na parada. E não como alguém que se questiona: será que estarei na hora certa?
Rev. Heliomar Dias

Menininho - Mais uma conversa


O menininho, como sempre, voltava de mais um dia corrido, um dia de pensamentos e reflexões, anseios e orações, sonhos e possíveis decepções. Errado muitas vezes por ficar ansioso e não ter sobre ele nenhum cuidado qualquer que seja, mesmo sabendo que um, somente um, seria muito.
O menininho chega ao Seu Pai pra conversa. Um conversa que o Pai já sabia o tema, o decorrer e o desfeixo, mas o menininho precisava, necessitava abrir o coração ao Pai.
então...

- Pai?
- Oi, meu filho? Como foi o seu dia?
- foi bom, Papai. O Senhor sempre bom, a cuidar e a tratar, mesmo quando não percebo. Mas Papai, vim aqui pra no teu escritório pra falar de uma coisa que há muito em meu coração está. E o Senhor sabe bem. Até pelo meu conversar com outros.
- Diga-me, meu filho. Pois Eu ouço a tua voz.
- Pai, é que meu coração sente algo que nunca senti. Talvez, algo parecido, mas nada como isso. Sinto o que João te chamou uma vez. Sento aquilo que é sentimento/ação.
Já não sei mais o que fazer. Estou te sendo sincero. E mesmo se não o fosse, Tu me conheces mesmo.
Eu já cruzei com ela ruas atrás, fiz serenata-poesia, mandei cartas ao mar, ela já perguntou e eu já respondi, mas e ai?
Não consigo conciliar as meias verdades com as verdades inteiras de meu coração.
Quero direcioná-lo, mas não posso. Quero gritá-lo, mas não posso, não serei ouvido, muito menos entendido.
Sabe, Pai, quando tem aquela certeza, que é certa e clara com clareza.
O anseio de amar como você amou. De cuidar como você cuidou.
Sei que tens um propósito. E não será a vontade, a ver de outros, besta que irá frustrá-los, mas sonho com isso.
Talvez seja sonhar alto de mais. Com algo incansável.
Mas é. To sentindo, to pensando.
Mas Papai. O que me dizes disso? O que ela diria disso?
- Filho, o que ela diria não posso te dizer(pelo menos não agora), mas o que eu te digo, e sei que o que vc me disse vai além de tudo isso, sei por que te conheço, filhinho, mais do que pensas, mas te digo:
O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará.
Espera. E no momento certo saberás.
Estou ciente de tudo o que se passa no teu e no dela.
Mas relaxa, vai vivendo. No momento certo te direi o que precisas saber.

- É papai, como sempre. :) Saio com a mesma resposta. Talvez, eu seja impaciente. Talvez não. Eu o sou. Impaciente, e ansioso, erro contra Ti assim. Tenho de trabalhar isso. Mas esperarei. Só queria saber se essa oportunidade terei - de amá-la. :/
- Não tenhas sobre ti um só cuidado qualquer que seja. Pois um somente um, seria muito para ti. é meu somente meu todo o trabalho. e o teu trabalho é descansar em mim. Entrega todas as áreas de tua vida, filho, e verás o que farei. E sei até a outra coisa que está em teu coração e nesse conversa você não me contou. Mas também chegará quando tiver de chegar.
- Obrigado, Papai. Vou indo. Mas fica comigo.

Christopher Vicente 26-04-11

Guerra


Acordo não com o cantar do galo
Nem com o melodiar dos passarinho
Mas com trombetas
como se anunciassem uma
nova e parente interminável guerra
Que começa logo cedinho

Guerra contra o sistema
Contra o mundo
Contra seu príncipe que o governa
Contra esse Eu que me afronta

A cada dia tem de matar um leão
A cada dia esmurrar não o ar
Mas a face no espelho
E a cada segundo negar
E correr atrás do que me torna capaz
De vencer a guerra
Que estaria perdida

Guerra, guerra, guerra
A humanidade "foge" dela
Mas comete a pior das guerras
Quando deveria buscar
Guerrear pela única que é boa
A guerra contra o pecar

Quando chego próximo ao General
Percebo o quão fraco é meu guerrear
Percebo que nada posso fazer
E por mim me renderia
E desistiria
De lutar contra o que minha natureza quer

guerrear a cada manhã
Conversar com o comandante
Pra saber as diretrizes.

"O bom saldado deve estar
sempre preparado para a batalha.
Isso implica ser constante em:
Comunicar-se com o QG
Preparar-se tática e fisicamente
E estar atento às necessidades da sua companhia
e ao caráter do seu inimigo."
E ao seu próprio coração.

Christopher Vicente 26-04-11

Laçar a Lua


Laçar a Lua?
Impossível!
Mas por que não crer no impossível?

Se for da Vontade
Daquele que faz o impossível
Tudo se tornará mais que possível

Por mais que o coração queime
E se inunde como nunca foi inundado
ame alguém a distancia
como nunca amou alguém - nesse sentido -
que estivesse ao seu lado

Ou que pareça
Mais do que racional,
talvez, do que espiritual,
Ou do que apaixonal
Improvável, também

Tem-se que esperar
Não sei o que
talvez, o saiba

Porém, dois grandes
desejos invadem-no
Esse que sente o inédito
O não planejado:

De que seja feita a Vontade
Do que foi planejado na eternidade
E que o coração possa direcionar
O amor a quem ele sonhar,
e há muito, amar
Proteger, prover e cuidar.

Resta-nos(...e ao coração)
Esperar, amar e orar
Enquanto isso vê-se o trabalhar.

Christopher Vicente 25-04-11
Como cristãos, acreditamos que a ciência descobre a enganosa graça da inteligência de Deus e que as chamadas leis da natureza são regras que organizam o mundo sucedâneo ao estado caótico da terra que ra"sem forma e vazia.
(Marina Silva) Trecho de uma coluna da Ultimato Abril 2011

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Vivendo os propósitos de Deus

Deus não fica fazendo, a humanidade, um apelo desesperado para que ela viva de acordo com a Sua Palavra e assim Seus propósitos não sejam frustrados. Mas com Sua Soberania os Seus Planos e propósitos são cumpridos e com amor chama os escolhidos dentre toda ela, e estes, sem exitar, se entregam e reconhecem O Seu senhorio, Soberania e obra redentora. Vivendo, assim, Natural e conseqüentemente a Sua Palavra.

Christopher Vicente 17-04-11

Costela

Como se fizesse parte de mim antes
Sinto-me próximo a você mesmo distante
Como completasse em mim
algo que nasci sem

Como se estivesse próximo ao meu coração
Como se ele tivesse a certeza,
se não pelo menos, o desejo
O anseio de tê-la perto

Perto fazendo parte
Parte da participação
Participação que participa
Da parte que me faltava
Que completaria o que já foi completado
Na eternidade

Deus permitiu Adão sentir,
mesmo Ele já tendo planejado,
O que lhe faltava
Pra com Sua graça
num mistério até hoje misterioso
Fazer nascer dele a providência
De sua necessidade

Pra que ele a amasse
Como seu próprio corpo
Pra que ele a amasse
Como O próprio que a criou
Os amariam. na verdade amou

Você, Costela,
é a que eu quero
E Se for a escolhida
que creio ser
Pra completar essa costela perdida

Christopher Vicente 26-04-11

De uma só vez

"De uma só vez eu fiz
Algo mudar minha vida
Pra ser como eu sempre quis ser
Eu reguei uma semente
Que vingou e eu simplesmente
Não quis mais olhar pra trás
Reaprender como se faz
O velho caiu, o novo homem nasceu
Vivendo no estreito
Decisão que vem do peito
Eu abro e fecho
E tiro a solução pro que não deu
Sou o tiro e o alvo
Proibido diz a placa e eu vou
O inimigo é o medo que a situação te deu
No meu sonho eu vi
A gente no futuro
Confirmando o que era puro
Enfim, tive o que ninguém deu pra mim
Bom demais pra acreditar
Eu acordei n'outro lugar
Tão diferente do lugar que eu vim
Se eu estiver cercado
Se o perigo vive ao lado
Lembra bem que é pra matar
O leão no coliseu
No cinema mudo
É um olhar
Pra eu dizer tudo
Em um minuto
Eu posso te ensinar
O que nunca aprendeu por bem ou por mal
Coragem, vai em frente
O dia já chegou uô ôu
Se tem sede de paz
Descansa pois você já não é
Mais um sofredor
Olhar bem diferente
Tudo mudou uô ôu
Não saberia jamais
Sonhar bem alto é quase um passo
Pra levantar vôo
Se escrever com giz
A chuva apaga
O que é definitivo
Como tatuagem
Com grades ao redor
Quanto mais gente mais me senti só
Essa corrente quem colocou em mim fui eu
Feito flor de isopor
Todo passado é arquivo morto
Peso inútil na memória de quem viveu
Uma história igual
Coragem, vai em frente
O dia chegou uô ôu
Se tem sede de paz
Descansa pois você já não é
Mais um sofredor
Olhar bem diferente
Tudo mudou uô ôu
Não saberia jamais
Sonhar bem alto é quase um passo
Pra levantar vôo
De uma só vez eu fiz
Algo mudar minha vida
Pra ser como eu sempre quis ser"

Rodolfo Abrantes

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Voltando ao Mar Esquecido



Mesmo quando insisto em Caminhar
Em direção ao Mar
Lembrar-me de pecados
Já apagados e afogados

Tu vens com Tua mão
Com amor de Pai
Com carinho, amor
e repreensão
E lembra-me
Que é o caminho errado

Mesmo quando parece
Que estou lá numa rocha
suja de lodo
A pescar

Tu lembra-me da Placa:
Proibido pescar nesse mar
Toma com amor a Vara
E quebra-a

Por isso e
coisas além disso
Posso confiar,
posso descansar,
posso me entregar
E saber que terei perdão
Saber que comigo Vais está
Sempre
Apesar de mim.

Christopher Vicente 20-04-11

terça-feira, 19 de abril de 2011

Que amor é esse

Que amor é esse
Que mesmo quando eu rejeito
vem como todo carinho
E mansidão
E constrange meu coração

que amor é esse
que mesmo quando parece
que é a ultima coisa que dou
atenção no meu dia
Ele vem constantemente e me enche de alegria

Amor que rompeu
A eternidade
Que rompeu a glória
Pra se fazer parte da humanidade

Amor que perdoa
Nos trazendo para junto dEle
nos fazendo como Ele
Santo e inculpável

é desse amor que quero experimentar
A cada dia
A cada manhã
Mesmo quando eu
nojento pecador
Esqueço de meu Salvador
Lembrando-me dEle
só quando o crucifico novamente.

Christopher Vicente 19-04-11

Na mão



É se minha boca fosse tapada
Talvez, quem sabe
Pela distância
Pela relutância
Pela inconstância das meias verdades

Eu escreveria na mão
Escreveria num quadro
De várias línguas
Principalmente
a que você mais sabe



Usaria pinjentes
Pra mostrar a toda gente
Que tem uma menina
Que ainda que não conheçam
Mas mexe nesse pobre coração



Escreveria na janela
No dia de chuva
quando o calor da casa
embaça o vidro




Sei lá só pra ter a certeza
ou pelo menos a esperança
De que alguém está vendo

Christopher Vicente 19-04-11

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Que besteira

É, talvez seja besteira minha
Esperar tanto, acreditar tanto,
e nem sei se existe

Não refiro-me ao sobrenatural
Mas ao natural
Que nasce no coração

Como posso saber?
Será que vale a pena?
Penso, oro, medito,
penso de novo
e não sei

Ficou tantas meias verdades
Que guardo pra mim mesmo
E pro amigo do Peito

Ficou tantas meias certezas
Que já não tenho clareza
do que fazer

enquanto isso
vez ou outra a mente tortura
O coração aperta, esmurra
E desperta
dorme, sonha, redesperta
E nesse lenga lenga
Já não sabe mais o que é sonho
e o que é realidade

Talvez, lá
A realidade já seja outra(o)
e vivo ainda no passado
Como um morador do pólo norte
Que vê o brilho da estrela no Sul
Mas esse já não existe mais
Pois morreu anos luz atrás

É, é besteira
Mas foi decidido
E não me tornarei novamente bandido
Por ter esquecido
Algo que da primeira vez não esqueci

E ainda é verdade em mim
Mas cada dia fica mais difícil
de saber: é mesmo, ou sou eu
tentando me iludir

Se pudesse ter pelo menos
Um sinal, algo aparentemente banal
Que ninguém entendesse
Somente o coração pra quem foi revelado
quando ele lesse

O que resta é esperar
Ainda que com a imagem distante a ficar
Esperar confiar e descansar
Pois se tiver que ser será
Leve o tempo que levar




Christopher Vicente 19-04-11

Que invenção é essa?



Quem inventou de inventar
Esse negócio chamado amor
Amor de sangue
amor de sangue Santo
amor de Uma só carne

Quem foi o inventor que inventou
Inventar a invenção Amor?

Amor não foi inventado
Não foi uma ideia
filosofia ou historinhas
que lhe deram origem

desde antes da criação do mundo
Desde a eternidade
O amor vive
Reina, Impera, governa
E simplesmente ama



Pois antes da Criação do mundo
Em amor
Ele nos predestinou
Para ser adotados como filhos
Por meio de Seu Filho

Porque em amor
O plano foi feio
E em amor foi gritado
"Está consumado".

consumado o Plano Supremo.
O plano tão eterno
Quanto o que o levou ser inventado
(o amor)
Quanto que o Inventou
(Aquele que É O Amor)

Um sentimento
Uma ação dada a esse coração
Tão fraco, tão sujo,
tão sem noção
Um eterno
Invadindo o terno

Isso me dá duas garantias
A de que se o amor Teu
sempre foi eterno
Então sempre será.

E se ele entrou em meu coração
No amor do tipo uma só carne
Tenho esperança
De quem sabe poder amar
como O Amor amou
dando Sua vida
E quem sabe poder amar
Eternamente quanto for terno

Mas que invenção é essa?
Muitos acham que ela complicou
Outros que não existe
é história de amador
Mas o que sei é o que Ele mesmo me diz



Essa invenção me Salvou
Essa invenção me dá perspectiva
De responder a essa que me cativa.

Christopher Vicente 19-04-11

10 mandamentos 10 quebramentos


Acordo, e logo vem a consciencia
Tem de correr, pular, saltar, gritar, correr
e nem um momento pra lembrar do Criador
DAquele que meu sono guardou

"Não tomarás em vão o nome do Senhor,
o teu Deus, pois o Senhor não deixará
impune quem tomar o seu nome em vão"

Ai, meu Deus, perdi
a porcaria do Onibus
Me atrasei.
-E não percebi o cuidado

Honra teu pai e tua mãe,
a fim de que tenhas
vida longa na terra que o Senhor,
o teu Deus, te dá.

PAI, JÁ TO DE SACO CHEIO
DE VOCÊ FICAR FALANDO ISSO
JÁ NÃO TENHO MAIS PACIÊNCIA
PARA ESSAS SUAS COISAS

Não matarás

Que bicho nojento,
Não sabe ligar a seta não, é?
tá andando sozinho na Rua?
Miserável.

Não furtarás

e ai, Brother,
tás aqui na fila do lanche.
Beleza. Vou ficar contigo aqui.
Sem problemas, né?
Ah, esse clips ninguém vai sentir falta
Aqui no trabalho

Não adulterarás

Meus pensamentos me condenam
Me levam onde ele quer estar

Pois é.

10 mandamentos
10 padrões perfeitos
10 quebramentos
10 às vezes, não arrependimento

assim sou eu,
Assim é você,
assim como nós
imperfeitos pecadores

Mas mesmo assim sendo
O Deus perfeito
Santo e Justo
Amou esse injusto pecador
e O Justo morreu pelo injusto

10 mandamentos
10 queramentos
10 crucificações

Christopher Vicente 18-04-11

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Romantismo

Detesto poesias romanticas
Detesto declarações vãs
Sem sentido,
Parece uma rememoração
do Tempo do platonismo

Poesias que afirmam:
Sem Ti não viverei
Sem você eu morrei
Ou até
Eu sempre te amarei

Será que amará mesmo
quando o amanhã chegar?
Quando acordar no outro dia
E mais uma rotina
transito, casa, e contas a pagar?
Será?

Teu Sorriso acalma meu coração.
será?
Será se eu me stressar
olharei pra o rosto dela
e tudo passará
Como o sol dissipa a relva?
Será?

Detesto romantismo,
Mas quero ser o mais romântico possível
Pra você, Porém não por você
mas por Deus

Quero Poder abrir a boca
E saber que
Até as declarações mais bobas
São nEle fundamentadas

Ser apaixonado eternamente
Mas ser racional a todo momento
Ser eterno namorado
Ser marido que dá a vida
Pela amada querida

Detesto poesias romanticas
Mas faria muitas a você
Se todas elas fossem
Copias rimadas do Livro

Como já
Faço muitas a você
Que bom seria se você
Pudessem ouvir, saber,
pelo menos ler
O que queria gritar
Pra todo o mundo saber:

Que Eu Gosto muito de você.

Christopher Vicente 16-04-11

Margem do Rio

Não dá pra ficar
Na margem do Rio
Esse Rio que dá vida
Não dá pra ficar.

Não quero ficar na margem
e não sair do lugar
Vou me jogar com tudo no meio dele
Onde a correnteza possa me levar
E Nesse Rio de Vida me afogar

Ali no meio pode ter
Ondas fortes,
pedras no caminho
Mas mesmo assim
é o melhor lugar para está

No meio do Rio vou me jogar
E não vou ficar
Na margem do Rio De Vida
Vendo a vida passar.

E Ele me traga
Como um amor
que não dá pra Segurar
em qualquer galho que eu veja


Christopher Vicente 16-04-11

Caminhando

Vou caminhando, Senhor,
Leve o tempo que levar
E se a sola do sapato desgastar
Descalço vou a pé
Pois por O autor e consumador
Me deu fé
e a prontidão do Evangelho da Paz

Pra que esperar parado
No outro lado da rua?
Se posso ir caminhado numa margem
Até ter a oportunidade
De cruzar contigo
Quando até os carros pararão

Pra que gastar o hoje
Pensando no que posso te glorificar amanhã
Se o hoje precisa de mim
E posso de glorificar agora
A cada nova manhã

Caminhando "vou
Sei que tudo isso Passará
Em Tua graça Vou
tens esperança em mim
quem me sustenta é Tua Palavra, Vou."

E quando as pernas cansar
E parecer que vão vacilar
Sei em quem confiar
Correr e aos pés me jogar

Pois vou caminhando
Pois "esperar em Ti
é sempre Caminhar."

Christopher Vicente 16-04-11

Monólogo

Certo dia Eu cheguei pra falar com seriamente eU.

- eU, por que você é assim?
Tão fraco, tão limitado, pecador miserável, que persiste em cair?
- Eu, sou assim por que já nasci assim. Desde o ventre de nossa mãe. Na Verdade você nasceu depois de mim. E sempre vem com essa história de me matar, me negar, me esmurrar!!?
eU nasci e nasci caido sim, como defeito. Nasci preso a natureza que sei que você senti ela a falar a você.

- Sabemos que a Lei é espiritual; EU, contudo, não o sou, pois fui vendido como escravo ao pecado. Não entendo o que faço. Pois não faço o que Eu desejo, mas o que Eu odeio.
E, se Eu faço o que não desejo, admito que a Lei é boa. Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim. E nesse caso, eU. Você é esse que habita em mim. Que nasceu preso, afastando-me de meu Deus, que me elegeu para em Sua eterna providencia me afastar de ti. E virá o Dia - Dia de grande alegria, vale ressaltar - em que Ele mesmo me livrará de ti, seu Estrangeiro.

- Pois é, Eu. Sei de tudo isso. Mas ainda estou aqui. E não penses que vais te livrar de mim assim. eU estou sempre a falar ao teu ouvidinho, sussurrando os desejos mais escondidinhos, dispertando em você, Eu, os mais podres sentimentos e pensamentos. Isso. Sentimentos que você olha pros outros e muitas vezes julga. É, Eu, sei que isso um dia vai acontecer. Posso ser fraco, falho e te fazer cair, mas não é culpa minha, é tua, Eu.

- eU. Nenhuma condenação, acusação, ou culpa há para aqueles que estão nAquele que é maior que Eu: Jesus Cristo, meu Deus.
Lembre-se só de uma coisa. Ele me libertou de você. Antes éramos como gêmios siameses e Eu sempre me sujeitava a você, aos seus desejos. Mas agora. A história mudou, pois Graças a Deus por Jesus Cristo, meu Senhor! De modo que, com a mente, Eu próprio sou escravo da Lei de Deus; mas, com a carne, eU sou escravo da lei do pecado. Da mesma forma, considero-me morto para o pecado, mas vivo para Deus em Cristo Jesus. Pois o pecado não me dominará, porque Eu não estou debaixo da Lei, mas debaixo da graça. Mas, graças a Deus, porque, embora Eu tenham sido escravos do pecado, passei a obedecer de coração à forma de ensino que me foi transmitida. Fui libertados do pecado e tornei-me escravo da justiça. Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus. Podemos até ainda ter a mesma doença congênita, mas logo logo me verei livre dela. E nada no ligará mais.

- Não Eu, você não pode...
- Eu Posso sim, eU. Não no meu poder, mas no que batalha contra você constantemente.
E assim esmurro o meU corpo e faço dele meU escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, Eu mesmo não venha a ser reprovado.

- Não, você não pode...
- Posso mesmo não. Já tentei por mim mesmo e você quase ganhou. Como te disse: Eu não posso Mas Ele pode. ;)
E sigo vivendo. Tentando negar o meu eU, tomar a minha cruz e Seguir Àquele que a Luz traduz, Cristo Jesus.


Christopher Vicente 16-04-11

Perdão

"O perdão não faz o outro ascender ao nosso nível, mas eleva ambos ao nível de Cristo. Este, sim, é o verdadeiro escândalo do perdão. Pois um perdão que não reconcilia é mera desculpa."

Manu Magalhães, jornalista.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Fugir



Dá vontade de jogar
tudo pra cima e fugir
Dá um grito e não ter
que nada decidir

Correr sem ter um lugar certo pra chegar
Sentar sem ter hora pra levantar
Pensar quando não ter nada pra pensar

Jogar tudo pra cima
E ficar nesse clima
De quem não sabe pra onde vai

Os braços e a perna pesam
A mente pesa mais
O Espírito Mais ainda
Toma esse fardo que não posso carregar



Se pudesse fugir
Pra onde o céu se encontra o mar
O infinito se toca
e o finito se infinita

Porém, melhor mesmo seria
Se tu voltasse
E me levasse
Nos levasse
Desse mundo, desse eu corrompido

Muitas decisões pra tomar
Muitas falhas num ser só
Muito pecado a derrubar
Muita coisa a fazer

Uma eterna responsabilidade
De tratar da eternidade de vidas
Mas não sei se estou pronto
Não sei se sou capaz.

Graças a Ti não sou
Pois é o Senhor quem faz
Apesar de mim
operas mesmo assim

Ouço dentro
Um grito silencioso

Vem Pai
Vem.

Christopher Vicente 15-04-11

terça-feira, 12 de abril de 2011

Lua do Meio dia

Ainda que esteja noite
E seja meia noite
E a escuridão domine
o medo vem me reprime

Posso crer e saber
Que o Sol ainda está lá
não posso vê-lO
Mas posso ver seu reflexo na Lua
a tornar a noite como dia

Dar-me a esperança
Do Dia chegar
Na noite posso não ver o Sol
Em sua plenitude e Majestade
Mas quando o Dia chegar
O verei,
face a face o meu Rei
Com quem eu sempre quis estar

E assim como a lua
reflete a glória do Sol
Assim quero ser eu
totalmente exposto a Ti
Pra em mim
Refletir a glória que há em Ti.

Christopher Vicente 13-04-11

Abrindo os olhos na manhã seguinte

Durmo depois de um dia
Em que não veio o que é muito e
Há muito esperado

Durmo e fecho os olhos
Com a esperança de abri-los
Diante do novo mundo
Diante do meu Rei

Esperança boa essa,
Esperança incorruptível,
Pode parecer que está demorando
Mas a qualquer momento vai chegar
Pois quem vem não tarda
Nem avança
Chega no tempo certo
Consumando a nossa esperança

Por esta razão
Durmo e fecho os olhos
Esperando acordar
No novo mundo
No Reino eterno
Diante do meu Rei
Leão Supremo

Quem sabe não é
Abrindo os olhos na manhã seguinte
É que nunca mais os fecharei?

Christopher Vicente 12-04-11

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Lagos Negros Transparentes


Que belos lagos negros transparentes vejo
Que belos lagos negros transparentes me vêem
Negros como a noite sem luar
Transparentes a quem se põe a olhá-los
A pesquisá-los e por eles serem cativados

Revela suas profundezas
Revela, a quem se põe a observar, suas belezas
Esses que fala tanto sem falar,
tão somente em olhar

Inspira as mais belas poesias
Lago negro transparentes
Quando transbordam
O Sol do meio dia vem evaporar
As águas que caíram na tempestade
da noite que acaba de passar

Oh! Que belos lagos
Simples, Transparentes, lúcidos
Sinceros, cativantes, reluzentes,
Fascinantes, professores,
aprendizes, encantadores
Sonho em neles mergulhar
Ser alvo de seu olhar

"Nesse teus lagos negros
De céu sem luar
Eu quero nadar livre
E mergulhar bem fundo a alma quero desvendar
Eu quero aprender a ouvi-los mesmo sem eles 'falar'
Ainda que transparentes
Talvez, leve a vida inteira
Pra eu entender o que me diz
O teu olhar".

Christopher Vicente 11-04-11

Quadro móvel

Olhando por este quadro móvel
Onde a imagem é mutável
a todo instante
Fico pensando no medo
Que se tem do futuro escuro
Quando não se deveria haver

Só é olhar para trás e ver
O que Ele já fez
Mesmo quando não
se acreditava
Quem Ele era
e que Ele poderia fazer

Só é olhar as Letras e perceber
Em cada promessa
A garantia eterna, a esperança,
E a recompensa de quem
Espera e descansa

Só é olhar para eternidade
Para os decretos nela determinados
Confiar na providencia
e na imanência de vivê-la.

é tão fácil
É tão simples descansar
E por que reluto
e peco em me preocupar?
preocupando-me,
Ocupando-me com coisas antes delas
acontecerem ou ocuparem-se

Só é entregar o caminho
a quem sabe o Caminhar
nEle descansar
E o resto Ele fará

Toma a ansiedade
Toma a dúvida
toma em Tuas mãos
Esse peso que me derruba

Christopher Vicente 09-04-11

domingo, 10 de abril de 2011

?Questionamentos

Qual o sentido da vida?
Pra que estou no mundo?
Por que existe o mundo?
O que há após a vida?
O que há depois da vida, mais vida
Ou morte?

Quem é Deus?
Deus existe?
Há salvação para humanidade??
A solução pra mim?
Existe amor de verdade?

Eu existo pra que?
Pra que existir?

Questionamentos essenciais
Que a humanidade deveria se fazer,
mas que essencialmente
Estes questionamentos não fazem.

Christopher Vicente 10-04-11

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Carta ao vento ao mar

O menininho vai a praia
Como de costume correr
Sem querer parar
Correr pra pensar
Correr pra cansar
Ou correr só por correr

O menininho vai a praia
jogar garrafas ao mar
E um jovem via essa cena

no outro dia,
o menininho foi lá de novo
E jogava outra ao mar

Depois, no outro dia,
ele vinha, nem descia a beira mar
Lá de cima mesmo
Cartas ao vento jogava

E de novo, e de novo.

Certo dia o jovem
Que via todo dia essa cena
Parou e perguntou:
Menininho, por que jogas
Garrafas ao mar,
cartas ao vento.

Menininho feliz responde:
Jovem, pra quem sabe
a menininha possa achar
Quem sabe o vento leve as cartas até lá.

Ela tá longe,
Mas tenho certeza que um dia
As cartas chegam lá
E ela verá
Que eu estava aqui.

Christopher Vicente 09-04-11


Ferramentas

Acaso a ferramenta tem utilidade
Sem que O carpinteiro a use?
Por que, então, às vezes, ela se vangloria
Quando é usada?

ela não entende que
ela nada é sem o carpinteiro,
Ou Ele poderia usar qualquer uma
Mas escolheu ela?

Pobre dessa ferramenta.
Não sabe que isso lhe enferruja
Destrói e prejudica
Torna-a mais dura para o trabalho
Inútil.

Acaso a ferramenta tem utilidade
Sem que O carpinteiro a use?
Por que, então, às vezes, ela se vangloria
Quando é usada?


Christopher Vicente 08-04-11

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Ela pergunta. Menininho responde.

O menininho não é vidente
Muito menos lê mente.
Mas como se ouvisse em alto e bom tom
a menininha milhas e milhas distantes
Pensando e se Perguntando:

O menininho ainda gosta de mim?

Menininha, nunca deixei.
Sua imagem em minha mente não apaguei
Apesar de ter ficado um pouco mais distante,
De teu sorriso ter ficado um pouco velho em minha mente
Por não vê-lo como antes, constantemente
"E eu ainda gosto de você,
mas, talvez, você já não gosta tanto assim."

O menininho ainda pensa em mim?

Penso, projeto, sonho em ti, sim.
E alegria é quando acordo do sonho
Em que você foi a protagonista
"E eu ainda penso em você,
Mas não sei se você ainda pensa em mim."

O menininho ainda se alegra em olhar minha foto?

Alegro-me, sim, menininha.
é a única coisa que restaura a tua imagem.
Mas nem precisei revelar,
Sua foto meu coração revelou.
E quem olha percebe
que tem um porta retrato nele.

O menininho me tiraria pra dançar novamente?

Te tiraria pra dançar infinitamente
Afinal tirei pra dançar alguém que avistei
muito longe e me chamou atenção, me encantei
E esse alguém foi você
E dançaria, se assim fosse,
Na melodia
Composta pelo Músico,
E compositor de nossa música.

O menininho ainda é decidido?

Só com você quis ficar
Decidi não somente por ti
Mas por tudo que senti,
pensei, agi e ouvi.

"E eu ainda gosto dela,
mas ele já não gosta tanto assim
E eu ainda penso nela,
Mas ela já não pensa mais em mim
A porta ainda está aberta
Mas da janela já não entra luz
Eu vou deixar a porta aberta
Pra que ela entre
E traga a sua luz."

Christopher Vicente 07-04-11

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Na janela

O menino saiu de com o violão
Trazia-o na mão
e o amor no coração

chegou lá,
lá onde queria está
deu uma de moleque - apaixonado
subiu a árvore e bateu na janela ao lado.
Mas nada

pegou uma pedrinha
jogou com todo cuidado
mas nada

então, decidiu chamar
deu dois suspiro gritados-
para os outros não acordar.
Mas nada.

Jogava bilhetinhos amarrados
Em pedrinhas
Escrevia em inglês, francês, português,
qualquer língua que fosse entendivel.
Mas nada.

Encostou-se na parede e desceu devagazinho
até ficar agachado
O seu companheiro violão
Até então
era o único a ver
as lágrima em seu rosto correr
bem como O Seu Pai via,
Mas Esse via mais fundo.

E lá ficou
passaram noites
fevereiro, março e abril

A menina olhava vez ou outra
O menino na parede encostado
Mas nem o chamava
E o menino ali ficava

Orava ao Senhor do amor
Ao Deus digno de louvor
Do coração, o criador
Criador também dos sentimentos

E lá ficou
Até quando puder
Até a história terminar
Ou melhor continuar.

(...)

Christopher Vicente 06-04-11

terça-feira, 5 de abril de 2011

Adeus quando o que se quer ouvir: oi


A menina caminhava na estrada da vida
O menino também caminhava
Vez ou outro se encontravam
Em cruzamentos
Da Abunadalgo com a Pevêtinoco

De tanto encontrar a menina
O menino começou a perceber
Em seu coração, de menino,
começou a arder
Ele não sabia mais o que fazer

Se parava ela e dizia.
Mas como? Se quando a olhava
O olhar se desviava.
Ou talvez nem fosse necessário
Pois quando não desviava o olhar o estragava
Dizia. Não. Griata,
o que ele sentia,
E que queimava

O menino então falou,
Menina...
oi, menino, respondeu a menina
alegre como sempre
Mais linda?!
Impossível.

Mas nada complementou.
Outro dia, a menina inteligente como sempre
Percebeu o que ocorria.
E parou o menino
que naquele dia
estava na maior correria

Perguntou:
Menino, o que está acontecendo?
o menino hesitou,
nos olhos por um tempo não olhou,
brincou, fugiu, mas...
é, não dava.

Gosto de ti.
Queria saber se gostas de mim?
Menino,
talvez, tu não lembras mais muitas vezes
em alguns cruzamentos atrás
Eu te dizia a mesma coisa
deste-me atenção por um tempo
E depois tapas-te os ouvidos
E isso magoou-me.
Agora, não posso dizer que sim, nem que não.
- mas, nem um nem outro disseste depois, menina.

Menina, perdão,
não sabia lhe dar com as coisas do coração
Ou talvez, não fosse aquele cruzamentos
O nosso momento

Menino, tenho que ir agora
tenho de ir pro Sul
pra onde o Vento agora sopra
E me leva junto.

Menina, ficarei esperando,
pois nunca senti algo como sinto agora
Por ti.
Decidi.
Isso não é comum.

não esperes, menino.
Não te darei esperança
Não somos mais crianças
Não espere.

Continuaremos amigos, menino.
- apesar da menininha quase nunca
responder as mensagens de amigo.

Esperarei, menina,
Até o vento soprar
e me levar pra algum lugar
não cometerei o mesmo erro
De ver-te num cruzamento
depois esquecer-te
E ao ver-te novamente
Sentir o coração acelerar
Pra mais do limite permitido

Só não fuja de mim
Eu não me programei também
Don't but worry,
isso não é o cruzamento anterior

Enquanto ela dava as costas
E ele dava também.
Tirava do bolso o ultimo bilhete
que ela lhe dera na ultima noite
do preto e branco
que dizia: p.s.: Je t'aime.

Ah, que alegria o menino pula
Não sabia se voava, se sorria,
se chorava ou agradecia.
Porém, era só imaginação
Ela continuava indo,
e ele com a mão no bolso - vazio - e triste

É, parece ser um adeus
quando o que mais se quer ouvir
É um oi.

E o menininho está esperando
Até hoje.
Como podes, menininho,
Pra que, menininho?

Autor,- responde o menininho -
esperarei o próximo cruzamento
que tem muita possibilidade de acontecer

Esperarei o verdadeiro autor
me fazer viver
o que já foi escrito
E seja o que for
Viverei, pois Ele é o Rei
E sabe o que escreve.

Por enquanto esperarei o Vento
como a chama queimando.
sem deixar apagar.

Christopher Vicente 05-04-11

É engraçado: Deixar pra amar amanhã

É triste
Mas chega até ser gozado
Como às vezes
As pessoas esperam as outras morrerem
Pra colocar no orkut,
Twitter ou facebook
Frases, álbuns ou links
dizendo o quão importante era aquela pessoa

Gastar tempo pra homenagear
Fazer pedidos de agradecimento
A quem não mais verá, nada, nada disso.

Quando deveria ser ao contrário
Aproveitar a cada momento
desfrutar a cada segundo
De está ao lado de quem se ama
de abrir a boca e dizer:
O quão importante és pra mim

Gastar tempo mandando scrap é importante.
Fulano, te amo
Graças a Deus por você em minha vida
Você é importante pra mim

não deixemos pra amar amanhã
quando se pode amar hoje.
na verdade sempre o hoje é o ultimo dia
Pena não vivermos nessa profunda realidade

Não amemos amanhã,
Amemos hoje.
não deixemos pessoas importantes
viverem sem saber o quão importantes são em nossas vidas
não deixem elas morrerem sem saber
Que são relevantes e que farão falta.

O amor é verbo para se conjugar
no presente continuo do grego
e nunca no passado
muito menos no futuro

Por isso:
Amo-te.

(apesar de às vezes ser
proibido disso dizer
A pessoa que se é)

Christopher Vicente 05-04-11

Nascimento especial

Ontem foi comemorado
O nascimento de alguém muito querido e amado
Pessoa que aos meus 5 anos
eu ansiava pra que nascesse

Nasceu, lindo
pequenininho.
Foi crescendo e parecia comigo
Não era irmão gemio
Mas quem não diria isso

Fui aprendendo a viver com ele
Cada brigada, cada lágrima,
Cada abraço, beijo,
cada brincadeira
era um aprendizado

Hoje louvo a Deus pela vida dele
Não sei o que seria de minha vida sem ele
Claro que continuaria sendo vida
Mas seria sem graça

Se eu morresse, me alegraria
Se meus pais e tia morressem,
muito me entristeceria
Mas se ele morresse,
seria uma dor quase que insuportável

Tamanho amor
que Às vezes deixo a desejar no expressá-lo
Mas não canso de olhar pra ele
E saindo dizer:
Te amo muito.

Parabéns, meu irmão amado
Que Deus te faça crescer em conhecimento dEle
Nem que pra isso te quebre
e saiba sempre quero está ao teu lado
Até quando não puder estar.

Christopher Vicente 05-04-11

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Nostalgia

Nostalgia, que palavra bonita
Soa linda no falar,
Mas não é tão linda no viver

Nostalgia
Tristeza e abatimento mais ou menos profundos
causados pelo afastamento de lugares,
pessoas ou coisas que se amam
e pelo desejo de as tornar a ver.

Como diria o trovador
"Vai minha tristeza,
e diz a ela que sem ela não pode ser,
diz-lhe, numa prece
Que ela regresse,
porque eu não posso Mais sofrer.

Mas se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei
Na sua boca.

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim,
calado assim
Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim."

Nostalgia,
Nostalgie,
peractorum
nostalgi
nostalji

Em vária línguas
várias formas de escrita
Mas um mesmo sentimento


Nostalgia.
Palavra bonita de se falar
mas doloroso de si viver

Nostalgia pela amada que se foi
Nostalgia pelo momento na mente registrado
Nostalgia pelo Senhor que se foi
Mas prometeu voltar


Certo autor falou:
"...A saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu."

O bom da Nostalgia
é a esperança
de que ela morrerá,
seja no retorno da amada,
na morte em que se verá
o ente querido
Ou na vinda do Senhor
Que virá pra enxugar
as lágrimas,
inclusive pela Nostalgia causadas.

Christopher vicente 04-04-11

Trovador

É, noite após noite o trovador espera
Espera a musa de suas inspirações voltar
A dona das melodias novamente na janela aparecer

Ele espera, talvez, o vento do sul
pra que a músicas soe melhor

Caminha pelas ruas de paralelepípedo
Caminha trite, sem saber se ela voltará.
E se voltar
Será que me ouvirá

um dia minhas músicas foram boas a elas
e hoje será que será?
Será que não encontrou músicas melhores por lá

Enquanto isso o trovador espera
Algumas outras damas
Pedem e sem drama
pra que o trovador toque
Mas ele espera

Percebeu que não está pronto pra tocar
Noite após noite
Percebeu que escolheu
Esperar na dama de seu coração
voltar.

E quando voltar, ou ele for a ela, quem sabe?
tocará alegrimente
todas as melodias e letras que guardou
pra lhe mostrar.

Christopher Vicente 04-04-11

domingo, 3 de abril de 2011

Como Ele amou.

Como posso agora sobre isso falar
Falar que existe um amor
Entre homem e mulher
Tal como o amor
De Cristo pela Sua igreja
Pela qual até se entregou?

Como posso falar sem me lembrar
De que poria viver isso contigo
poderia ser você?

Lembro-me de quando esse texto citei a ti
E você, prontamente, completou-o
a que alegria foi isso ouvir

Mas é, né?
Fazer o que?
Talvez, esperar
Talvez, não querer.

Martela em minha mente
E até quando parece que esqueço
torna a lembrar
Até quando parece outra change
Meu coração lembra:
Não caia no mesmo lance

O medo fez medo ao medo
A certeza fez enterrar o tempo
Que possa vir a passar
e que passa a todo momento

Ai sim, talvez,
esse mesmo texto possa ensinar
E com alegria de vivê-lo
Com quem Deus me fez entendê-lo.

Christopher Vicente 03-04-11

Afasta de mim

Glória
Que palavra linda
Sedutora, atraente
Palavra pela qual muito morreram
Muitos cairam
E eu sei quem foi o primeiro

Oh, Deus livre-me dessa
Que bate a minha porta
que vem mostrar no espelho algo que não existe
Que bate ao meu coração
querendo derrubar-me

livra-me de cair nessa armadilha silenciosa
Livre-me de ser enganado por ela e iludir-me
Não cairei nessa van nojeira
que o ladrão de glória caiu na vez primeira

Perigosa, nojenta, silenciosa
Por que existe severas repreensão a pecados escandalosos
e não a esses que são silenciosos?
Talvez, porque aqueles que deveriam repreendê-la
Estão presos nela e não sabem reconhecer

Oh, Deus,
livra-me de mim
Não quero reconhecimento de outros pecadores
quero ser aprovado por Ti.
Afasta de mim a glória que é pra Ti
Que tudo que eu faça, fale, pense
seja pra Tua glória

Não é por minhas mãos
mas pelas Tua
Essa linha tenua
entre elogio verdadeiro
E exaltação da glória me perseguem
Afastá-os de mim.
Afasta-me de mim
dessa voz que fala ao meu coração.

"Não a nós, Senhor,
nenhuma glória para nós,
mas sim ao teu nome,
por teu amor e por tua fidelidade!"

Christopher Vicente 03-04-11

Ponto inicial


Quem disse que a caminhada cristã
é um ponto final?
Por acaso é Nasci(de novo) e ponto?

Não.
está mais pra um ponto de reticências
Quase ininterrupto
ponto após ponto
aprendendo, vivendo, caindo, sendo levantado

não é que hoje errei,
pedi perdão e aprendi
que nunca mais poderei cair
No mesmo que me fez cair outrora

Mas é nessa primeira queda
aprender das armas
das lições que me fortalecerão
nos próximos buracos que virão.

Oh, quão bela caminhada é.
Um fardo leve
Um aprendizado Eterno das Eternas Verdades
Da Eterna Palavra
Do Eterno Amor
Do Eterno Deus
O Deus Salvador,
Soberano, Senhor,
Fogo consumidor.

Mas não existe coisa melhor
do que chegar ao fim dela
E dizer: Combati o bom combate
guardei a fé
Corri o que me foi proposto correr
Passei ponto após ponto
Levantei
cai,
levantei de novo
E agora meus olhos vêem o Rei
O guia de minha caminhada
abrindo os braços pra mim
Como se abraçasse a Noiva amada

Ponto final?
Não.
Ponto Inicial
Que a cada amanhã se inicia
E de início a início
Existe um suicídio
Do velho que ficou no ponto de trás,
a este sim, existe um ponto final.

Christopher Vicente 03-04-11

Será que é minha culpa?

Será que é minha culpa?
Será que foi eu quem escolheu sentir
Isso que eu sinto e senti
Por ti?

É sempre vivendo e aprendendo
É sempre vivendo e apanhando
às vezes, doe, mais é preciso
Se não for confiando na vida real
E não só na Teoria
Como aprenderei a confiar
Como deveria

Não sei se escolhi,
na verdade sei.
Escolhi sim.
Mas pra desescolher é difícil
E na verdade não quero

Palavra de homem que quero manter
O medo do medo de novo me supriender
Cometer o mesmo erro de ter escolhido
desescolher no passado
E ao ver novamente o mesmo quadro
E ao ver novamente o mesmo brilho
E ao ver novamente o mesmo sorriso
O mesmo abraço, a mesma voz, o mesmo cheiro,
Querer ficar admirando sem poder

olhar as fotos
olhar a foto
É boa escolha
Mas por que escolhi?
Ou por que me fizesTe Escolher?

é Não sei da resposta,
E não reclamo de Ti.
Isso é bom pra mim.
Mesmo que talvez não pareça ou pareça

Será que é culpa minha?
Se for, e se pudesse assumir de forma
A se cumprir o que escolhi
Teria prazer em reconhecer:
A culpa foi minha.
Mas claro que a Culpa foi Tua. ;)

Christopher Vicente 03-04-11

sábado, 2 de abril de 2011

Sobra tanta Falta

Falta tanta coisa na minha janela
Como uma praia
Falta tanta coisa na memória
Como o rosto dela
Falta tanto tempo no relógio
Quanto uma semana
Sobra tanta falta de paciência
Que me desespero
Sobram tantas meias-verdades
Que guardo pra mim mesmo
Sobram tantos medos
Que nem me protejo mais
Sobra tanto espaço
Dentro do abraço
Falta tanta coisa pra dizer
Que nunca consigo

Sei lá,
Se o que me deu foi dado
Sei lá,
Se o que me deu já é meu
Sei lá,
Se o que me deu foi dado ou se é seu
Sei lá... sei lá... sei lá....
Se o que deu é meu...

Vai saber,
Se o que me deu , quem sabe?
Vai saber,
Quem souber me salve
Vai saber,
O que me deu, quem sabe?
Vai saber,
Quem souber me salve...


O Teatro Mágico video

Inspirações

Cadê vocês, inspirações?
Vocês que vinham de repente
Como um voz que clama

Será que não vêm mais em minhas meditações
Será que poesias pararam de se formar
Quanto a tudo que vejo e penso
Ou será que elas se formam
mas não paro mais para expressá-las?
talvez, desisti de sonhar.
Talvez, meu pensar não pense mais em versos.
Mas, Cadê vocês, inspirações?

Cadê vocês, inspirações?
Duas coisa eu sei:
ainda ouço o Sussurrar
E meu coração ainda passa a cada momento a meditar
Se as inspirações e as poesias
hesitam em sair e se mostrar
Nada posso fazer,
se não, esperar.

Christopher Vicente 02-04-03