segunda-feira, 30 de maio de 2011

Física Consoladora

Oia, gosto muito de física,
gosto mais ainda quando é física mecânica clássica
Mas me peguei hoje pensando:
Gosto tanto dela e ela me atrapalha tanto

Ela tem duas grandezas,
grandezas que hoje me trazem tristeza
O tempo e espaço

O tempo que demora a passar
Para com meu Criador encontrar
Pra com a amada encontrar
Espaço que me distancia dela

Talvez, Eisten sentisse a mesma coisa
E ai, foi atrás, pesquisou,
E descobriu o que hoje se chama
De física moderna
Que poderia se chamar, consoladora

Em sua teoria de contração de sólidos
Posso contrair a distancia entre eu e ela
E sua teoria da dilatação do tempo
Posso dilatar, quem sabe,
Aquilo que é barreira

Mas, vamos lá.
Tem de aceitar
Tempo e espaço
às vezes são barreiras
Pra quem anseia amar
Pra quem anseia com o Criador se encontrar

Christopher Vicente 30-05-11

Medo

Muito quero te amar
Contigo crescer,
Mas meu maior medo
Primeiro é a Papai desagradar
O segundo, que faz parte do primeiro,
e mesmo sem querer
Mais uma vez lhe magoar

Nunca senti, e pensei
O que hoje sinto e penso
De olhos abertos ou fechados
Quando você longe, ou do meu lado

desejo muito isso
E poder esperar
Mas também caminhar
Não sabemos o que o futuro aguarda
Nem ele mesmo sabe
só O Seu autor sabe

E quão bom é poder confiar nEle
Pois Ele é o maior interessado
em nossas vidas
Em nosso relacionamento

Oro, clamo, pedindo a Deus
Para que tudo que é teoria bíblica
em minha cabeça sobre Relacionamento
Possa se concretizar nesses momentos

E buscar te amar
E amar como Ele amou
E amar implica muita coisa
Não é simples sentimento chamado amor

É desejas está do lado
Ser amigo, ser ombro
É, também, não só ter paz,
Mas na guerra saber lhe dar
Com o nosso presente mais precioso:
Eu e você
É saber ser humilde,
Privilegiando o outro
É simplesmente se amar
Como Paulo fala lá
Em 1 Coríntios 13
E Efésios 5 apartir do 13 :)

Mesmo tendo esse medo
Mesmo o medo fazendo medo ao medo
Se necessário enfrentarei
até antigos traumas e pesadelos
Que em nós criei

Christopher Vicente 30-05-11

sábado, 28 de maio de 2011

Análise de uma dança


Pode parecer besteira essa reflexão besta, de um exemplo mais besta ainda.
Contudo, pode-se ser relevante.

Muito se sabe de um homem e de uma mulher numa dança e pergunta-se: Como assim?
Pois bem, vemos se um homem tem liderança quando ele faz seu papel na dança: Leva a dama. Mesmo sem saber nada dos passos, Vai e faz. E ai, entra outra coisa notável a se analisar. Por mais que não saiba e queira levar, mas percebi-se se é humilde para perguntar perguntar a dama, que talvez, os sabiam, e aprender com ela.

Já uma mulher, percebe-se se ela é submissa, quando se deixa levar pelo cavalheiro, como deve ser seu papel. Mostra ser sábia, quando ensina ao homem os passos com amor e paciência - porque tem uns homens que pra aprender a dança...só a graça, viu?).

Coisa besta, né? Pode dizer! Mas me peguei pensando agora. Mas é uma pequena paráfrase, para se analisar o texto de Paulo de Ef 5.22-27.

Tarefa fácil, né?
Homem, seu limite mínimo de amor é, simplesmente, amar como Cristo amou a igreja.
É, mas quero essa tarefa. :)

Christopher Vicente 29-05-11

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Menininho falando em francês

Je suis un garçon romantique
E por ser Romantique
A nostalge
Não é uma simples saudade

Je suis un garçon amante
Não o que serve a mesa
Mas o garçon menino
Que ama.
e disso tem certeza

Je suis un graçon
qui essaie de parler français
Por não saber falar inglês
Faz biquinho
e cara de: menino quer carinho

Je suis un graçon
Que vai aprendendo
e tenta está sempre atento
A voix.
A única que pode lhe ensinar.

Christopher Vicente 27-05-11

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Menininho pergunta ao poeta

Poeta,
Como se chama esse forte desejo
De está ao lado?
como se chama a simples vontade
De ouvir o mais simples oi
No final do dia?
como se chama esse almejar
E juntos caminhar?
Como se chama o desejo
De encontrá-la?
De abraçá-la?
De juntos moldar um ao outro?
como se chama o desejo
de querer abrir mão
do desejo de querer?
Como se chama esse desejo
De junto envelhecer?
Ou de acordar num belo dia
E juntos na praia correr?
De tomar um café da manhã,
melar o nariz com geleia,
de dar um beijo com gosto de hostelã?

Vamos, poeta,
tu não és o poeta?
Responde-me!

Menininho,
caro menininho,
tu o sabes dizer muito bem.
Isso que sentes é a mais nobre sensação
é a mais firme razão,
e a mais difícil, e linda prática,
é o mais eterno conceito,
E o elo perfeito,
é a teoria junto com a ação,
é a mente, abraçada ao coração,
é o querer e o realizar,
é a Terceira ordem dada:
Uma só carne vão se tornar.

O nome disso, menininho,
Muito já tentaram explicar.
Mas João bem definiu
e Paulo, expandiu.

O nome disso é amor.
Corra e grite a menininha:
"Menininha, Je t'aime. Amo-te.
E por te amar, quero contigo estar.
E por querer contigo estar, quero viver,
E por querer viver, quero aperfeiçoar,
e Pra sempre, no tempo hoje, amar."

Obrigado, poeta.
Farei isso agora:
"Menininha..."

Christopher Vicente 25-05-11

Eternidade


Ainda que colocássemos a eternidade numa medida de espaço e tempo, e em algum determinado ponto, quem sabe o ponto hoje, liberássemos um feixe de luz, este levaria uma contagem infinita de tempo para chegar ao início, da eternidade, mais outra contagem infinita para chegar ao final dela. O que deduzimos é: eternidade não tem início, meio e fim, não pode ser medida ou estimada. Nossa mente definharia se a tentássemos compreendê-la ou imaginá-la em sua plenitude, pois nem matematicamente, nem filosoficamente, o infinito cabe no finito.

Quem pode dizer: O tempo começou ali, ou Deus começou a existir há ‘n’ anos; “Como Deus é grande! Ultrapassa o nosso entendimento! Não há como calcular os anos da Sua existência.” Jó 36.26 NVI

Infeliz e miserável é a criatura, que com arrogância e soberba, mais que esperadas, questionam e afrontam a Deus , dizendo-lhe que não é bom, nem justo. Que não concorda com Seu padrão de Justiça, ou Suas ações e determinações. E assim o fazem por não entender(mos) A grandeza e magnitude desse Deus, quem mesmo sendo tão grande se revelou ao homem.

Pergunto(e na verdade Paulo pergunta): “Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? "Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: 'Por que me fizeste assim?'” Rm 9.20.
Deus é Deus, isso basta.

Christopher Vicente 25-05-11

terça-feira, 24 de maio de 2011

Evangelho Envergonhado


John MacArthur em seu livro "O evangelho segundo Jesus" diz uma frase muito interessante: "O evangelho veiculado nesta geração é um clamante açucarado, designado para tranqüilizar os pecadores, mais do que para converte-los."

Ah, meus amados, vale ressaltar: nós somos essa geração, nós fazemos parte dela, nós somos computados e contados, teoricamente, como parte do pensamento ou ações dessa geração. E nos cabe, assim, refletir: Que tipo de evangelho tenho levado ao meu amigo universitário? Que tipo de evangelho tenho vivido? Será um desses - que não é evangelho - dos quais passam a mão na cabeça, massageia o ego, fala das maravilhas e conforto de Cristo nas situações, em detrimento da natureza pecaminosa e da conseqüência dela da qual Ele veio nos livras, ou para não parecer tão ameaçador e forte, não digo da realidade do inferno, realidade muito lembrada por Cristo, para que eles não se assustem, ou rejeitem o evangelho, ou fiquem aflitos, mas ao contrário, tornem-se "amiguinhos" do evangelho?!

Meus irmãos, o incentivo é para que preguemos o evangelho integralmente - isso também com nossas vidas -: Deus criou o homem para gozá-lo e Glorificá-lo, o homem está longe de Deus por causa de seu pecado, Deus nos amou na eternidade, Deus encarnou, morreu e ressuscitou como prova desse amor e como pagamento desses pecados, Deus prometeu descanso eterno em Seu Reino para os Seus filhos - aos que o receberam e creram em seu nome -, e tormento eterno para o que já o rejeitaram, pois não creram em Seu nome, em Seu sacrifício salvífico, vicário e substitutivo.

Com certeza, se você for cristão verdadeiro, saberá e vive tudo isso que foi exposto, Contudo, a pergunta é: Temos transmitido isso, com fidelidade e integridade?
Eugene Peterson diz: “Consumidores religiosos, são como qualquer outro consumidor, facilmente atriados por embalagens e descontos.” Que não sejamos nós os donos dos supermercados para nosso amigos que afligidos pela sentimento da ausência de Deus vão atrás de algo fácil e barato chamado religiosidade e que está a venda em qualquer esquina - e às vezes, até na própria igreja.

Este é o chamado: Que acordemos com o anseio de falar, viver, pensar e expressar, esse magnífico amor com fidelidade e não façamos parte dessa geração, aliás, mudemos-nas, que oferece esse evangelho comercial e de butiquim. Não quero ser o garçom que traz o adoçante para um suco que inicialmente é amargo. Mas quero ser o cozinheiro, que faz a comida com o alimento evangelho, e por mais que inicialmente pareça amargo, ou azedo - pois confrontará a pessoal - ele fará bem ao degustador em questão.

"Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, depois do grego." Rm 1.16

Christopher Vicente

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Homem Chora


Disseram:
Homem não chora
Mas, de longe ouviu-se: Chora, sim.
e chora muito.
chora pela amada que tá longe
chora pelo Amor que o contrange..
chora pela natureza que em seu corpo está presa..
chora ansiando a certeza
De que verá o Rei
Vindo em Sua Glória
Habitar entre os homens
tirar este fardo
e permitir que eu deite a cabeça
Em seu colo, ao seu lado.

Feliz são os que choram,
Pois serão consolados,
e a cada segundo essa consolação
Estão mais perto,
pois chega o Dia da Redenção

Christopher Vicente

Coitado dos Artistas

Coitado dos artistas
Que em frustradas tentativas
Tentam desenhar tua beleza
Linda externa linda interna
Beleza, não de deusa,
Mas de mulher que quer ser menina
De menina que quer ser mulher
E viver para o Que Deus Quer

Ponta do lápis já chorou
Por não saber desenhar o amor
A sinceridade do olhar, do sorriso,
Mas, quando o vi chorando,
o consolei dizendo:
não fica assim,
Não é mesmo fácil descrever em traços
A grandeza e beleza de algumas coisas
Ainda que aparentemente simples

O papel se decepciona
Por não poder mostrar
Em sua plenitude
O que o poeta chama
De amor a se amar

Coitado dos artistas
Que em frustradas tentativas
Tentam desenhar tua beleza
Linda externa linda interna
Beleza, não de deusa,
Mas de mulher que quer ser menina
De menina que quer ser mulher
E viver pra o Que Deus Quer

Christopher Vicente 23-05-11

sábado, 21 de maio de 2011

Sorriso II

Podem chamar-me
De palhaço, desengonçado
Desastrado, engraçado.

Mas, qualquer que seja
a piada minha
tem como objetivo
ver tua alegria
O sorriso em teu rosto
é coisa de louco, porém
estou viciado em vê-lo e ouvi-lo.

é bom fazer outros sorrirem
Melhor ainda é ver-te sorrir
Se é pra ganhar um prêmio desse
Só em falar bobagens, coisas às vezes sem nexo,
piadas bestas,
Ah, farei com alegria,
Só pra ver em você
Esse sorriso lindo todo dia.

Te ver feliz me faz sorrir,
te ver sorrir me faz feliz.
Eleve isso ao quadrado
quando sou o motivo do sorriso,
ou da felicidade


Christopher Vicente 21-05-11

Perfeitamente Perfeito

Sei que não és
perfeitamente perfeita pra mim
Nem eu perfeitamente perfeito pra ti

Mas, mesmo com essa imperfeição
Vejo perfeição na poesia:
"E dois tornam-se um só"

Somos perfeitamente imperfeitos
Um para com o outro
Mas nesse Imperfeita perfeição
Sei que O Pleno Perfeito
completará essa relação

A perfeita imperfeição
Completará a imperfeita perfeição do outro
E como o mais belo tesouro
Teremos a perfeição
Que não é perfeita
Mas que anseia em alcançá-la
Não no padrão perfeito humano
Contudo, no Perfeito Santo
Ensinado Pelas Perfeitas Letras.

Sei que não és
perfeitamente perfeita pra mim
Nem eu perfeitamente perfeito pra ti
Mas, mesmo assim, já decidi

Christopher Vicente 21-05-11

Forte Desejo


Se o meu desejo de amá-la
limitasse somente
a uma simples atração
Que amor fraco seria o meu
condicionado ao tempo
Ao efeito da gravidade

Mas não,
podem chamar o que for
Contudo, quero amar-te
Pois amo contigo está
Quero fica velhinho
E ainda sim, em noite frias
Contigo namorar

Quero a plenitude santa
Do Padrão de Deus
em nosso relacionamento

Quero crescer, amadurecer
Voltar a ser criança
Rir, chorar, como quem não teve infância
Deita em teu colo
E falar minhas besteiras
Ouvir tu reclamando
Por eu ter esquecido
tirar o lixo da lixeira

sinto-me flutuante
Um dente de leão
Levando Pelo Vento
Levando pelo Amor
- chamem isso do que quiser -
Mas sentir isso me faz bem,
Os psicólogos podem tentar explicar
Freud pode dizer que é um ato falho
Porém, falho seria
Se eu fechasse os olhos pro que sinto
Ai seria hipocrisia

não entendes?
Quero está ao teu lado
senti teu cheiro
é, e porque não,
Logo de manhã, o teu bafo?

Quero te abraçar
e fingir que não tem relógio
Pra contar o tempo que vou ter de parar

Quero correr contigo na praia
E que se praia cobrisse toda a terra,
ela nunca ia acabar

Tentar colocar os sentimentos
Os pensamentos, e o desejo em palavras
é um desafio,
Mas gostaria de te mostrar ao vivo
numa poesia chamada vida

chamem isso do que quiser
Mas, vejo mais que racionalidade nisso
O desejo de amar,
mesmo sem saber a perspectiva se
se realizará
descansar em quanto dar
Que dar uma de egoísta em orar
pedindo pra que seja da vontade
do Deus que nos ensina o padrão
do amar

Mas se não for,
O que fazer,
se não também se alegrar
E glorificar
Àquele que não eternidade
Determinou a vida, a realidade.

Christopher Vicente 21-05-11

Segunda mãe

Não me gerou
Muito menos em seu ventre
Me alimentou
Mas me é como mãe
não porque Pariu

Me cuidou
alguns dos princípios
eternos me ensinou
Não me amamentou em seus seios
Porém, me fartou de amor

às vezes, longe,
mesmo tão perto
Mas seja qual for a distância
É possível sentir o amor
dessa que se chama mãe
Não por natureza,
Mas pela beleza

Obrigado, Jô.
Por ser essa tia
tão assim:
Mãe.

Christopher Vicente 21-05-11

Reencontro


Ainda nem te reencontrei
desde daquele dia
Contudo, fico a cama
Minutos antes do sono vir

Pensando com será.
Vou correr de onde estiver
Com um sorriso de criança
correndo para o seu maior presente

vou te abraçar
Bem alto levantar,
como quem não quer mais largar

Talvez, rodar,
E ter de no teu ouvido dizer:
'Muita saudade estava de você'
E logo depois falar
É vou ter de te soltar
Se não todos vão perceber

É, talvez, isso seja de mais,
Sonhar como será,
é melhor deixar as cosias rolar
Mas é difícil conter
Meu coração não pensar
Em algo que ele muito almeja:
você.

Christopher Vicente 21-05-11

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O ansiar da conversa

É massa quando vc passa o dia ansiando falar com alguém. E quando a hora chega se alegra em ouvir sua voz, coração bater mais rápido, e ao mesmo tempo se acalmar. Falar coisas bestas e importantes. Rir com as piadas sem graça e chorar nas feridas da vida. Abrir o coração, mesmo a milhas de distancias pra ver o que há nele. Isso é muito bom.
Tá legal, isso é pra um relacionamento específico. Contudo, melhor ainda quando isso é pra com Deus. a alegria tende ao infinito, só não chega lá porque o coração é finito. :)

Trilhos da História


Quem sabe essa história
Seja como linhas de trem
que são a mesma,
contudo, em determinado ponto, se afastam

Pode trazer tristeza
às vezes, más perspectivas,
ou esperança de Se encontrarem

Mas quem sabe?
Se o Maquinário
Lá na frente venha ligá-las

Cada uma passou
por determinado ambiente
Mas quando se uniram
Muito mais uma a outra contribuíram

E fazem com que o trem da história,
doce história,
com o ponto de partida
E destino Pelo Maquinário determinados,
Percorra livremente
Como providência
e caráter de imanência
Do Operador, Maquinário
Que age na sua criação
Colocando amor e atração
No órgão pequeno
conhecido como: Coração.

Christopher Vicente 20-05-11

Entre muitas no mundo

Mesmo que você não seja
A única mulher no mundo
não há outra que eu perceba
Tamanha admiração, amor,
vontade de está junto,
decisão de amar

Dizem-me isso ser besteira:
"pra que ser romântico,
Isso é para tolos."
Faço-me tolo(não no sentido bíblico), então,
se querer gritar ao mundo
quem se ama
querer está junto,
E não só no amor,
Mas quando se tem de atritar,
querer ouvir o timbre suave de menina
Que faz o coração acelerar
e ao mesmo tempo se acalmar,
se falar da amada
e ao mesmo tempo rirem de você
Pois está com cara de menino bobo
Então, faço-me de tolo.

Contudo, não deixarei
de querer amar
como as Escrituras ensinam a praticar

Mesmo que no universo inteiro
você não fosse a única
a mim seria,
Parece, de longe, platonismo,
Mas pra mim, e qualquer um
olhando mais perto vê que é
realismo, racionalismo

Escolhi amar-te,
Do Amor brotou o amor
e ainda que não se saiba
Pacientemente, até então se espera,
Pois segundo O Livro
O amor é Paciente

A situação fica,
Como que continua e continuou a ficar.
amando, e até quando der e puder
vai Amar.

Christopher Vicente 20-05-11

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Semana feliz

Essa semana sonhei com você duas vezes
Onde foste a protagonista
Lembro-me bem, da alegria de vê-la perto
De ver o sorriso que a muito me cativou
A alegria de tão somente tê-la lá,
Mesmo realmente longe, contudo no sonho,
próxima, como antes

Semana boa?
Tire suas conclusões.
Tive a oportunidade de ouvir
O que por muito tempo quis
Não necessariamente um sim,
Mas um timbre que queria ouvir
Uma risada de me faz rir

Ai, o que fazer?
Coração acelera, não fica quieto,
mas tem de ficar, se não gagueja
E atrapalha a cabeça,
no que há muito se quis falar.

É difícil essa alegria definir
Não é mesma de se ganhar um bombom
Melhor, é mais que bombom
bombombombombom

Parece ser besta,
é deve ser besteira
Mas pego-me pensando:
Por que não entrar na nave
E fazer valer a teoria de Einsten
E dilatar meu tempo,
se esse for o problema?
(mas relaxa, é só um desejo)

Por que não, talvez:
Fazer do território brasileiro
do tamanho do mapa dele 1:1000000
Pra tornar em centímetros
a distância que parece infinito?

Mas, tudo bem,
não se preocupe.
Escolhi isso.
deixemos o tempo passar
Quem sabe na providência
Ele venha confirmar
Ou talvez negar.
Quem sabe?
O Providênciador sabe.
Mas, eu gostaria que confirmasse
Essa seria a parte que me cabe.

Christopher Vicente 18-05-11

Ele, na noite de Natal, lia


Ele, na noite de Natal, lia.
Ele, na noite de Natal, lia.
Ele, na noite de Natal, lia.
Como ele queria ler mais perto
O que, já em Natal, lia.

Ler as grandiosidades,
as fraquezas, a sinceridade,
as mais puras e profundas belezas
Ler o abraço amigo
o Sorriso: "sempre estarei contigo"
Ler o olhar distante
a fala besta relevante

Ele, na noite de Natal, lia.
Ele, na noite de Natal, lia.
Ele, na noite de Natal, lia.
Como ele queria ler mais perto
O que, já em Natal, lia.

Christopher Vicente 18-05-11

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Há muito tempo - Menininho

Há muito tempo o menininho
Encontrou a menininha
A ela se declarou,
e em ambos o amor brotou

Mas, numa fala errônea
Um ferida se deixou
Uma mente que com a boca dizia: posso não
E com pensamentos dizia ao coração:
Vai, volta atrás, e dize-a que a ama
como estou amando, como quero amar
Como O Livro diz pra amar
(como O Noivo amou a Noiva)

Distantes ficaram
O menininho tentava esquecer
Porém, quem disse que conseguia?
Pensava que estava errado em não conseguir
Ao contrário isso era prova do que estaria por vir

era uma luta constante,
e sempre quem vencia,
a todo instante
era ela, a mente, a bela

O tempo passou,
pensava o menininho tê-la esquecido
De fato, era para se pensar,
pois nem as palavras proferidas
naquelas conversas amigas
Ele se lembrava como queria

Contudo, nessas estradas por ai
que o menininho anda
A Reencontrou, mais bela?
Talvez. Só não menos bela do que era!
Mais, madura? sim. Como se espera.
Mais menininha.
sempre.
Acho que nunca deixou ser.

Mas ai, os sonhos
Os chamados, os eternos propósitos
pra longe levou
Levou-a, levou-o
e se não é do eterno propósito
Não talvez,
Mas realmente,
Se não foi daquela vez
Não será jamais
- se não foi do eterno propósito -
Mas se for.
Ah, menininho.
Relaxa.

Christopher Vicente 17-05-11

domingo, 15 de maio de 2011

O que eu também não entendo - Jota quest - Além dos jargões


É comum encontrarmos muitas pessoas que distinguem música de Deus e música secular. O termo é até muito sugestivo, mas muitas dessas mesmas pessoas repudiam as chamadas "músicas do mundo". Quando paramos pra entender que todo dom e talento vem de Deus, e que o homem, totalmente depravado, não pode chegar por si só a conceito santos e fieis sobre amor entre homem e mulher, por exemplo, entendendo que é Deus quem o faz, e também pra a Sua glória, mesmo os compositores ímpios dessas músicas não tendo o objetivo. Pode-se dizer, e sendo bem radical (kkk), que é até pecado dizer que poesias lindas como de Caitano Veloso são do diabo.

Mas sempre tenhamos o bom senso do que se deve ouvir. Não por isso que vou sair ai ouvindo porcaria. Filtremos, inclusive, nossas músicas pelo mais perfeito filtro: As Escrituras.

Gostaria de mostrar um exemplo de uma música que muito fala sobre o padrão de amor bíblico - mas até do que as músicas chamadas "gospel romanticas":
1 Co 13.4-7

OBS: essa parte do "posso tirar a tua roupa" se encaixa só pros casados, viu? (kkkk)
há muita coisa notável e interessante de se comentar sobre esse tema um tanto polêmico no meio "gospel", mas isso é pra outra postagem. :)


Essa não é mais uma carta de amor
São pensamentos soltos
Traduzidos em palavras
Prá que você possa entender
O que eu também não entendo...
Amar não é ter que ter
Sempre certeza
É aceitar que ninguém
É perfeito prá ninguém
É poder ser você mesmo
E não precisar fingir
É tentar esquecer
E não conseguir fugir, fugir...

Já pensei em te largar
Já olhei tantas vezes pro lado
Mas quando penso em alguém
É por você que fecho os olhos
Sei que nunca fui perfeito
Mas com você eu posso ser
Até eu mesmo
Que você vai entender...
Posso brincar de descobrir
Desenho em nuvens
Posso contar meus pesadelos
E até minhas coisas fúteis
Posso tirar a tua roupa
Posso fazer o que eu quiser
Posso perder o juízo
Mas com você
Eu tô tranquilo, tranquilo...
Agora o que vamos fazer
Eu também não sei
Afinal, será que amar
É mesmo tudo?
Se isso não é amor
O que mais pode ser?
Tô aprendendo também...
Já pensei em te largar
Já olhei tantas vezes pro lado
Mas quando penso em alguém
É por você que fecho os olhos
Sei que nunca fui perfeito
Mas com você eu posso ser
Até eu mesmo
Que você vai entender...
Posso brincar de descobrir
Desenho em nuvens
Posso contar meus pesadelos
E até minhas coisas fúteis
Posso tirar a tua roupa
Posso fazer o que eu quiser
Posso perder o juízo
Mas com você
Eu tô tranquilo, tranquilo...
Agora o que vamos fazer?
Eu também não sei!
Afinal, será que amar
É mesmo tudo?
Se isso não é amor
O que mais pode ser?
Estou aprendendo também...

http://www.youtube.com/watch?v=XAdazYoUAUw&feature=relmfu

Christopher Vicente 16-05-11

sábado, 14 de maio de 2011

Mal cheiro

Que mal cheiro é esse?
Que mal cheiro é esse que sinto
Todo momento?
será esgoto?
uma fossa, um velho poço?
Um sepultura aberta,
carne podre exposta?

Que mal cheiro!
vou e vejo no espelho,
Vou e vejo na Límpida Luz
e percebo que esse mal cheiro
vem de mim
Dessa coisas em mim entrelaçada
Minha natureza totalmente depravada

Passeava na rua,
pensei que fosse o lixo do vizinho
descansava em casa,
pensei ser a fossa estourada
estava na igreja,
pensei ser algum mal educado
que estivesse do meu lado,
Mas não,
era ela, essa natureza detestável

Todavia, sinto um novo cheiro,
Um cheiro bom, puro, diferente
Diferente desses cheiros que sinto de mim,
que sinto de outros vir
Cheiro de Alvejante
Alvejante de cor vermelha
Que tira todo cheiro impregnado
Que lava toda mancha que tivesse sujado

Bendito seja esse Alvejante,
Bendito seja o Produtor dele,

Posso ter esperança, agora
De que logo logo chegará a hora
em que o mal cheiro passará
por ele não serei incomodado
E nada dele me lembrará

Christopher Vicente 14-05-11

Palavra

Deus, obrigado por Tua Palavra ser tão assim:
Perfeita, Justa, Verdadeira
Digna de Confiança, Límpida e pura

Quero desejá-la mais do que
O que mais anseio nessa vida.

Quero vivê-la como se não o fazer
Não me permitisse viver(e assim é)

Quero que seja por mim almejada como o ar,
Como se ela fosse a única fonte de ar do universo.

Quero ter fome dela,
Como se nenhum alimento no universo
pudesse saciar minha fome

Quero praticá-la como se
a prática dela fosse
algo indispensável para minha existência - e é -
e necessário para a sobrevivência

Quero estimá-la mais do que
o mais estimado objeto, riqueza ou ser.

Quero fazer dela morada eterna
de minha mente,
E minha mente pesquisadora incansável
De Suas Maravilhas eternas

Que, se por ventura,
não tiverem acesso ao Livro
Que eu seja-o de forma vivida
Que possam ler-me e verem em mim
Suas eternas letras e linhas

Que ela seja Luz, fogo, faca,
escudo, Lâmpada, Espada,
Abrigo, Perfeita...
Sobre todas as ciências, Exaltada,
todo homem, ideias e pensamentos humanos

Porque simplesmente a Tua Palavra
é Palavra Tua, Palavra de Deus.

Christopher Vicente 13-05-11

terça-feira, 10 de maio de 2011

Hitler, Wellington Menezes de Oliveira e eu, o que temos de comum?


Hitler, Adolf (1889-1945) ...Os judeus da Alemanha e dos países ocupados foram aprisionados e executados, fuzilados ou mortos em câmaras de gás. A conta geralmente apresentada é de 5 a 6 milhões de pessoas sacrificadas, no que Hitler chamou de solução final para o problema judeu.

Massacre de Realengo refere-se ao assassinato em massa ocorrido em 7 de abril de 2011, por volta das 8h30min da manhã (UTC-3), na Escola Municipal Tasso da Silveira, localizada no bairro de Realengo, na cidade do Rio de Janeiro. Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, invadiu a escola armado com dois revólveres e começou a disparar contra os alunos presentes, matando doze deles, com idade entre 12 e 14 anos. Oliveira foi interceptado por policiais, cometendo suicídio.

Eu, estudante universitário(ou secundarista), cristão...

Parece-nos um pouco agressivo e ofensivo o fato de nos igualarmos a Hitler, e a Wellington Menezes de Oliveira, afinal, "eu sou bom. Nunca fiz o que Wellington fez e muito menos o que Hitler fez, e tenho certeza de que não farei. Sou bom, cristão, estudo numa universidade(ou escola secundarista), frequento minha igreja, participo de um movimento estudantil muito massa e de Deus chamado ABU"...e por ai vai nossa lista de bondade e práticas respeitosas perante a sociedade. Mas perante Deus, o que somos? Nossa atual situação ou natureza diz o que a meu respeito?

A consciência e entendimento disso nos dará uma verdadeira postura perante eu mesmo, o meu próximo e Deus.

Não bastaria citar outros textos de nossa Maravilhosa Bíblia diante desse (tão conhecido por nós, né?): "Todos pecaram e precisam da glória de Deus."(Rm 3.23)
Ou talvez: "Somos como o impuro - todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniqüidades nos levam para longe." Is 64.6

Legal são os advérbios que respondem tudo: todos!

Às vezes, parecemos aquele fariseu que orava junto ao publicano. (Lucas 18.9-14)

Essa consciência - de que não somos curados fugindo de doentes, mas, como disse C.S. Lewis, somos doentes em tratamento(por enquanto, enquanto temos essa natureza) que chegamos no hospital três dias antes podendo assim direcionar a sala de injeção, remédios...aos que ainda estão chegando -, nos permite maior amor por Cristo, pela obra(missão), pelas vidas...



Façamos como Isaías que antes do "eis-me aqui, envia-me a mim", disse, quando viu quem era diante de Deus: "Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros; os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!" Is 6.1-8

Christopher Vicente

Amor - Raya, Ahava, Dod.

Tem conheci como Raya
Te descobri como Ahava
Te quis como Dod

Eu Ahava você
Ansiar está junto
Ao Teu lado
Nenhum lugar do universo
Me atrairia como os teus abraços

Não é paixão boba
é o desejo de compromisso
Pra esse mundo parece coisa louca
Mas pro criador do Ahava e pra você
Tenho certeza, que é o que deve ser

Ter mente e coração voltados
O desejo de ser uma só carne
De ser um,
Ah, como quero.

Raya você parece ser simples,
E foi o que foi sugerido posteriormente,
Contudo, quero ser tudo nesse raya
Raya você me permite manter
O ahava vivo

Raya é chegar ao fim do dia
E tomar sorvete na sorveria
rir com um filme besta
Brincar no video game
Como crianças

Raya para ouvir os medos
Chorar os segredos
rir os sonhos
suar na mesma brincadeira
Se alegrar no mesmo trabalho:
Levar o Criador do Raya pra todos

Dod, ah, o dod,
Por que não?
Por que fingir que não?
Te quero como dod, também,
Teu templo me atrai
Tua boca me seduz
Tua pele me fascina

Pode parecer nesses versos
Que são pobres rimas
Porém, mesmo assim
transmitem as riquezas desse dod
Dod além do carnal,
O dod Espiritual

E como seria bom
Esperar esse Dod até o dia final
Que seria a consumação dele

Mas não os quero separadamente
Quero o Raya, Ahava, Dod numa só chama
Ardendo e aquecendo
a nós, e a todos que verem de longe

quero se possível viver com você
Essa chama, que o livro do grande sábio
à sua amada, chama de Amor

Mas como diz a amada:
Não despertem nem incomodem
o amor enquanto ele não o quiser.
Atrevido sou eu
De incomodá-lo.

Mas, não sei...
talvez, será, até quando,
Vai perdurar!
O Raya, Ahava, Dod,
O amor.

Christopher Vicente 10-05-11

Para entender mais a poesia, recomendo que assista esse vídeo. É bom. Aumenta até mais a cultura.
http://www.youtube.com/watch?v=pU5jKETgFhc

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Lógos


Na eternidade já era eterna
Verdadeira e inerrante
Ela estava com Deus
Ela era o próprio Deus
Através dela tudo foi feito
sem ela não seria
O Logos logo chegou
A estes miseráveis pecadores
Com amor e misericórdia ela foi dada
Inspirada, revelada e iluminada
Para repreender, instruir e ensinar
Tornar estes miseráveis mortos
Cientes de sua morte a a causa dela
Maravilhosa, perfeita e verdadeira
Alguns podem dizer que não
E com argumentos falhos, voláteis e vãos
Lançam-na balas
Mas como o mais duro metal inoxidável
Está ai, por anos, e por que não dizer
Por eternidade?
Pois passarão todo o futuro
Mas a Palavra permanecerá
Nela me conheço e me vejo
E muito me assusto
Nela conheço Quem se deixou
Através dela se conhecer
Nela conheço a Sua obra
Planos e futuro que me aguarda
Chamada de Escrituras Sagradas
Palavra de Deus revelada,
Fonte de sabedoria
Profecia, Lampadas para os pés,
Ouro e Prata, Tesouro de Valor,
Ou simplesmente, Bíblia
Ele é o Manual de Ortodoxia e Praxeologia
Só peço ao Seu Criador
Que a personalidade dos seus escritores Determinou,
Aos seus ouvidos soprou
E com Seu Espírito Revelou
e hoje nos Iluminou:
que abra os meus cegos olhos
Para que eu veja e entenda
As maravilhas dessa Maravilhosa Lei.


Christopher Vicente 10-05-11

Je t'aime!

T'aimer me fait du bien.
Permettez-moi de se sentir
quelque chose qui ne se sentent pas
sans toi
Me permet de savoir
quelque chose qui ne pouvait pas
Si Dieu n'avait pas montré.

domingo, 8 de maio de 2011

Um Bilhetinho de amor


Um lugar amado e compartilhado
Um estrada a ser percorrida
Um primeiro abraço depois de muito tempo
Um: Oi, como vai você?!

Um rotina lado a lado
Alguns olhares rápidos e disfarçados
Alguns bilhetinho do coração
Um jarrinho de flor,
Um açude, algumas bóias, muitas risadas

Um ensaio, uma conversa, não tão sincera
Uma incerteza: talvez sim, talvez não
Um velho sentimento
Sendo renovado na mente e coração

Um jantar, dois jantares,
Outros bilhetinho
Outra conversa, dessa vez sincera
Um cinema, uma alegria, uma espera

Uma festa em preto e branco
Uma foto, outra foto de cabeça pra baixo, muita risadas
Um amor que a muito nasceu
Falsamente morreu
E verdadeiramente reviveu

Um fim da rotina
Num lugar encantado
Um abraço forte:
não estou em paz

Um lágrima que não quis cair
Que foi segurada
Compreensível
Essa abraço foi guardado

Um Sushi, um shopshuei
Um parada de ônibus, uma ligação:
chegaste bem? Sim!
Te cuida. Boa viagem.


Não lembro bem como tudo recomeçou
Mas lembro que se confirmou
Nos bilhetinhos de amor
Trocados, compartilhados,
Olhares rápidos e disfarçados
Esperava eu ser perdurado
E poder toda manhã dar:
Um bilhetinho de amor

Christopher Vicente 08-05-11

Mão na Panela - Menininho


O menininho, como sempre, buscava ser sincero em suas conversas com seu Pai. E assim, com toda a sinceridade conversava.
Certo dia, o menininho chegou na cozinha, encheu a panela d'água e a pôs ao fogo. Até ai tudo bem. Mas mesmo sabendo que não era bom ele coloca a mão dentro da panela.
E seu Pai, de longe, porém não distante, via toda a cena, e mesmo tendo-o alertado que era errado e que se queimaria o menininho fez.
Então, o menininho dizia: "Papai, não deixa eu me queimar." Sincero falava.
O Pai respondia: "Filho, não deixarei. Tire sua mão dai."
Mas o menininho não tirava.
E quanto mais o tempo passava, mais a água esquentava, mais o menininho clamava: "PAI, NÃO PERMITAS QUE EU QUEIME MINHA MÃO."
E o Pai com amor continuava a dizer: "Meu, filho, meu amado filho, que amei e amo de tal maneira, tire a mão da Panela.
E o menininho chateado com a mão começando a doer gritava: "PAI, VOCÊ FALOU QUE NÃO DEIXARIA MINHA MÃO QUEIMAR. NÃO PERMITAS QUE ELA QUEIME."

E depois de tudo isso o menininho queimou a mão. Doeu muito e no início chateado ele ficou, pois pensava que seu Pai iria lá e tiraria a mão por ele, porém, aprendeu: O Pai não deixará queimar a mão, mas precisa tirá-la da Panela.

Christopher Vicente 08-05-11

sábado, 7 de maio de 2011

Será que o problema é crer no que não se vê?

Quem lê constantemente meu blog, sabe que esse tipo de texto que é decorrido não é comum nele. Costumo poetizar as ideias. Mas algo me chamou a atenção essa semana. Algo de meu dia a dia que é mais interessante relatá-lo do que poetizá-lo.

Curso Ciências e Tecnologia na UFRN. E estou pagando uma matéria chamada Calculo 1. Todos os alunos desse curso(300 alunos) receberam em seus e-mails uma mensagem alertando-os de que teriam de se matricular em alguma turma de forma virtual(online). Em meu circulo de colegas nós nos dividimos, sem querer, e alguns ficaram em nossa atual sala (que o professor não era tão bom em transmitir a matéria), e eu junto com mais dois, formos em outra turma, onde percebemos que o professor daquela turma transmitia a matéria mais facilmente. Como a vaga na turma era limitada, eu pus-me de pé e corri pra avisar aos meus colegas que ficaram na outra turma, pra irmos nos matricular nos computadores do laboratório de informática.
Enfim, contextualizei tudo isso pra chegar nesse ponto:

Chamo-os um por um. E digo as seguintes palavras: "Galera, vamos nos matricular na turma um. Aquele professor é muito bom. Ensina massa. E ainda usa o material que estávamos estudando por si só na biblioteca. A sala lá tá com alunos até nas escadas laterais. O cara é bom mesmo."
E após essas palavras prontamente meus colegas correram comigo para se matricular.

Agora vem o questionamento. Qual a diferença disso, dessa fé que eles tiveram em minhas palavras, para a fé que eles podem ter ao ouvirem-me falar de Cristo?
Em ambas as situações eles não viram o cara, não sabiam se realmente era bom(mas mesmo assim foram), não viram se ele realmente era fiel a matéria e a transmitia bem.
Será que o problema é crer no que não se vê? Ou não?
Parece-me que não. Eles não viram o professor, mas creram. Eles não viram a Cristo, mas não creram!

Mas alguém pode chegar a mim e dizer: Nada a ver, Christopher, são contextos diferentes, assuntos diferentes...e blablabla... São tudo isso diferente. Mas não trato do específico, trato da intenção por trás de tudo isso.

Se nossos colegas nas universidades tivessem fé em Cristo quando nós contamos quem Ele é - Maravilhoso Conselheiro, Deus forte, Salvador, Senhor, Pão da Vida, Água da vida, Deus Soberano...- como têm fé quando nós falamos de algum professor que eles nunca viram, talvez, metade de nossas salas estariam indo ao Reino de Deus conosco.

Conclusão: Será que o problema é crer no que não se vê? Não, Com toda certeza, não.

Christopher Vicente 08-05-11

Triste agonia

Ah, que triste agonia
Pra quem ouvi a repreensão amorosa Divina
E permanecer na letargia

Christopher Vicente 08-05-11

Fariseu, Eu?

"Eu sou tão bom pra todo mundo
Eu penso nos outros
Eu faço até o que não dá"
Eu sou líder na igreja,
Da EBD, Professor,
Ministro de louvor,
Um eloquente, comovente e ótimo pregador,
Eu cuido e ensino às crianças e velhinhos
Oro muito,
Oro pela igreja,
Pelos líderes, pelo Pastor até pelos pequeninos
Eu falo do Teu amor
Na escola, universidade
E trabalho vivo o evangelho de verdade
Dos meus irmãos sou o melhor
Sou presbítero, Diácono
Em meu ministérios
Recebo elogios e aplausos
Eu dou comidas aos pobres
discuto política
Tento mudar o meu meio
Através de mim
Muitos vieram
A Jesus e Seu Reino
Dos teólogos, o mais reformado
dos pastores, o mais renomado
e até sou humilde pra dizer:
Dos pecadores, o pior, porém "restaurado"

Deus tem de me aceitar
Receber-me no Céu
Com um grande: Parabéns
Convidar-me à assentar Sua direita na mesa
E dar-me lugar exclusivo
Dizer que fui o melhor
Me elogiar. A final:
Eu mereço...

Será que você merece???

"Pois vocês são salvos pela graça,
por meio da fé, e isto não vem de vocês,
é dom de Deus;
não por obras,
para que ninguém se glorie.
Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus
para fazermos boas obras,
as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos."

"não por causa de atos de justiça por nós praticados,
mas devido à sua misericórdia,
ele nos salvou pelo lavar regenerador
e renovador do Espírito Santo..."

"Portanto, ninguém será declarado justo diante dele
baseando-se na obediência à Lei,
pois é mediante a Lei que nos tornamos
plenamente conscientes do pecado.
Pois sustentamos que o homem é justificado pela fé,
independente da obediência à Lei."

"Pois quem obedece a toda a Lei,
mas tropeça em apenas um ponto,
torna-se culpado de quebrá-la inteiramente."

"Conheço as suas obras,
sei que você não é frio nem quente.
Melhor seria que você fosse frio ou quente!
Assim, porque você é morno, não é frio nem quente,
estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.
Você diz: 'Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada'.
Não reconhece, porém, que é miserável,
digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu.
Dou-lhe este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo,
e você se tornará rico;
compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez;
e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar."

"O fariseu, em pé, orava no íntimo:
'Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens:
ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano."

"Tá bom Deus sabe quem realmente eu sou
Os homens podem ver minhas obras
Mas Deus vê meu coração"
E vê o que eu falo, penso e faço,
Estando eu só, na multidão
Em qualquer hora
Ou espaço

Fontes: "Hipócrita, eu?" De Lucas Nobuo; Ef 2.8-10; Tt 3.5; Rm 3.20; Rm 3.28; Tg 2.10; Ap 3.15-18; Mt 18.11.

Christopher Vicente 07-05-11

Retornar

Como é difícil, às vezes,
Voltar pelo caminho que se veio
Como é difícil
Pedir perdão
Quando novamente te crucifico
Mesmo sabendo que pra Você dá-lo é fácil

Christopher Vicente 02-05-11

Poetizando

A quem diga que a Lua
é uma estrela amiga da Terra
E que o Sol é um planeta
Alegre e caloroso,
Que quer mostrar sua alegria a Terra

A que diga que o céu
É um grande lençol azul
E as Estrelas grãos de areia
Que foram aquecidos

A quem diga que a chuva são lágrimas
E a brisa do sul o beijo soprado pela amada

A quem diga que a Cruz...
É, não tem o que poetizar,
não há o que dissertar
A cruz por si só é poesia, é dissertação
A mais bela em todas as eras
Em suas linhas mostra amor
E Suas letras vermelhas a entrega

Ela que era motivo de vergonha
Tornou-se, a muitos, motivo de
Vida, glória e honra
Seus argumentos são mais fortes
Irrefurtáveis
Me constrangem

Tudo posso poetizar
Só não esse amor
Não só por ele ser pura poesia
Mas também, por nenhuma poesia do mundo
Poderia versar essas gostas escarlate de amor eterno
Pelo pecadores a transbordar

Christopher Vicente 03-05-11

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Amor Constrangedor

É,
Talvez, eu não queira aceitar
Esse amor disposto a me amar

ele me constrange
Não gosto de ser constrangido
Mas é impossível
Não se render

É,
Talvez, eu precise senti-lo mais
Além de ensinar, pregar, falar
Quero ser inundado
Quero dEle transbordar e exalar

Fico fugindo dele
Dando desculpas
Mas na verdade
não consigo compreendê-lo
é, Talvez, por isso que ele é incompreensível

É.
Definitivamente, não consigo compreendê-lo
mas não deixa, Pai,
que essa minha falha
Me faça como palha
E não sinta Teu amor

Ao contrário
Quero buscar
juntamente com todos os santos,
compreender a largura, o comprimento,
a altura e a profundidade

Que vai mais fundo que os mares
Mas longe que a estrela Antares

Obrigado, por me constranger
Com esse amor
Que muitas vezes
não sei receber

Christopher Vicente 07-05-11

Matando o Velho Homem, o Velho Eu.

video

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Estética

Deixa me descrever tua lindeza
Hiperbolicamente fenomenal
Divina metafísica proeza
Meu padrão de beleza universal

A estética do seu interior
Simetricamente proporcional
Ao teu sorriso que me cura a dor
A incoerência poético-formal

Se você pudesse se enxergar com meu olhar
Você não diria que é exagero meu
Só pode ser charme, quilinhos menos, metros a mais
Na lei áurea do meu amor, não há o que tirar nem pôr
Na medida exata amém, estilo Deus sempre vai além
Da minha imaginação, melhor que qualquer ficção

Fluir você pra mim é uma surpresa
Não sei se eu tenho tato pra perceber
Obra-prima requer tempo e sutileza
Carinho e atenção pra se entender

Será que é sonho, será que é real?
Que medo que eu tenho de não ser
Coragem, fé, trabalho, ideal
Vou aprender com quem criou você

Henrique Cerqueira

Identidade


Olhando a identidade
As impressões digitais não mudaram nada
Desde aquele dia

Mas com certeza
O indivíduo que as colocou mudou
Não por iniciativa própria
A palavra mais correta
Foi mudado, pela Palavra
Dia após dia transformado
Até o Dia da Transformação
Conhecido como Dia da glorificação

Parece-me ser as mesmas digitais
O mesmo DNA, Talvez.
com a mesma doença congenita
Diferentemente do dia das digitais
Hoje, ele tem perspectiva de cura
Dessa doença nojenta

Bendito seja o Dia
Em nem as digitais
Serão como no passado
pra não lembrar
da vergonha de está do outro lado
O lado da morte
e a Alegria se ser transportado
Do Reino das Trevas, pra o Reino
Que o Filho Amado leva
E abriu o Caminha na Cruz
é O Santo Reino de Luz

A identidade já não será necessário
Pois todos, inclusive o da foto,
serão como o Rei, o Cordeiro vicário.

Christopher Vicente 04-05-11

O Astronuata



Era uma vez um astronauta.
Viajava de mundo em mundo
Por toda a Galáxia em missão
Pra mostrar aos mundos a salvação

Até que em um desses mundos
Encontrou aquela que lhe cativou
Cativou o coração do astronauta
Porém, eram de mundos distantes
Não tão longe, mas distantes.

Ele gostou muito dela
Ela, muito dele
Mas ele viajou
E sem nenhuma explicação plausível
A deixou

Tempos depois
Ele a reencontrou
Mas bela
Mas linda
Mas madura
Porém com feridas,
Já cicatrizadas,
mas que deixaram marcas

E ele mudou algumas coisas
As experiências nos mundos
E o Estudo do Manual do Astronauta
Lhe amadureçam algumas coisas

Muito o astronauta queira
Com ela está
E se alegrava com o anseio dela
De também outros mundos viajar

E mesmo ele viajando tanto
E ela também
Talvez, o coração dela
Se perguntava:
Será que o astronauta
Ainda me ama
Tantas belas mulheres pelas galáxias
Será que ainda sim?



E como se uma mensagem
por ondas chegasse ao seu rádio
O astronauta em seu coração responde
Nunca esqueci a bela
Que cativou meu coração
Até tentei pra tirar a dor
Mas impossível ela já me cativou
E ainda a amo
Não mais, e muito mais do que como amei
Porém menos do amarei

Mas o Senhor do universo
Tem planos pros dois
Talvez plano em mundos diferentes
Plano de mudar mundos
Mudar galáxias
E não sabe onde novamente vai a encontrar
E nem se o vai.

E hoje quem se pergunta é o astronauta
Será que a astronauta
Ainda me ama
Tantas belos astronautas pelas galáxias
Será que ainda sim?

Mas fica no coração
E nos diário de bordo do astronauta:
"Anseio em conhecer aquele mundo
Desvendar seus mistério
Respirar sua atmosfera
Ir ao seu núcleo
E ver do que é composto esse planeta
Que tipo de vida há lá -
a mais abundante, deduzo eu -,
Não sei se a verei
Continuemos a viajar pelo universo
Até a Nova Terra chegar

E o astronauta ia em sua nave
consolado, desconsolado, talvez,
Mas ia, feliz no caminho que o Comandante mandar
Sabendo que seria a mais boa, perfeita e agradável
Rota a se tomar.

Christopher Vicente 04-05-11

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Morena Menininha

Morena menininha,
Permita-lhe ser a rainha
desse menininho

Morena menininha,
com o moreno nos olhos
Acorda o menino
depois de sonhar com
a menininha moreninha

Menininha Morena,
não sabe seu futuro
Menininho, também, não
não sabe o amanhã
Ele também não
Não sabem o plano
Que o Homem
Tem pro Menininho
E pra menininha

Contudo, todavia, entretanto,
E tanto entre tudo isso
e na via toda
E no tudo com tudo isso
descansará o menininho
talvez, guardando o sonho

Pois como diz o sábio jovem
amigo do menininho
Se tiver de ser será
Não importa quando, onde,
como ou quanto tempo leve
Será!
Agora se não for
Não será.

Morena Menininha,
Como seria bom pro menininho
tê-la como rainha
Mas isso é egoísmo de Mais
O Homem teve ter muito mais
Pra morena menininha

Christopher Vicente 03-05-11

Pra Depois

Vou deixando pra depois
Sempre pra depois
E fraco vou ficando
Mas, vai ficando pra Depois
E depois deixando

Quando for ver
o depois
já é tarde de mais
não dá tempo
desperdicei-o
com o que ficará pra trás.

E mesmo após essa poesia
Terei a hipocrisia, e ousadia
de deixar pra depois.

Christopher Vicente 03-05-11

domingo, 1 de maio de 2011

Jumentinho


Na eternidade escolhido
Um proposito, uma determinação
No momento certo
Veio a provisõa

vão
E verão
Um jumentinho,
filho de jumenta
Amarrada na arvorezinha
Pronto para o que foi preparado

Se perguntarem diga:
O Senhor dele precisa.


Legal
é que tudo isso foi feito
Mas o Jumentinho
Estava ali

No hosana o que vem
no nome do Senhor
Ele não se gabou
Mas humildemente
Caminhou
Levanto o Senhor
E sendo meio de Glorificá-lO

Que seja eu o burrinho, Senhor
Que está aqui ao Seu dispor
E todo aplauso
Ou voz erguida seja ao Senhor

E eu cumpra pra com o propósito
Determinado na eternidade
Glorificá-lo em toda e qualquer oportunidade
Dando-Lhe sempre Glória Ao autor da Minha fé
E que me desamarrou da árvore


Christopher Vicente 01-05-11

O ano passou rápido

Uma amiga afirma:
o ano está passando mt mt rapido '-'
isso é bom, eu acho.
Alguém responde:
não acho muito..
ou acho...
não sei...
meu ano...
é...
talvez...
sei lá...
algo que...
quem diria...
deva ser...
ou não...
não sei...
a incerteza...
sei lá...
virá.
não...
já está...
janeiro...
o que será...
ainda é maio...
é.
vai saber...
só resta...
descansar.

Christopher Vicente 01-05-11