segunda-feira, 27 de junho de 2011

Isaías Chamado

Que estranho e inexplicável,
no ano do reinado de um rei qualquer
Você se ver diante do Supremo Rei
Com sua glória e Majestade.
Se não podemos ver diretamente o sol,
um dos menores astros,
quanto mais a Glória dAquele que é pura luz e glória.

Diante dEle, ver-se as impureza,
ver-se as imperfeições,
diante do santo Padrão,
Percebe-se o que está fora do lugar
E cabe, tão somente, reconhecer:
ai, de mim, Tenho certeza que vou morrer.
Ainda mais por saber que Santo, Santo, Santo,
É esse a quem meus olhos vêem.

Contudo, fui perdoado, fui purificado.
e ouvi uma voz que dizia:
A quem enviarei, e quem é que vai por nós?
Então, disse eu, sem saber pra onde ir, como ir, ou o que levar:
Eis-me aqui, envia-me a mim.

E o que se poderia de se esperar
De um Deus, de um profeta, de uma mensagem.
Algo que dê frutos positivos,
algo que dê o resultado?

contudo, fui chamado pra levar,
Uma mensagem que trará
O resultado oposto ao que se é lógico,
arrependam-se! e mais se enveredam pelo mal caminho.
Voltem-se! e mais continuam no mesmo sentido!
Chorem! E mais se alegra com a impureza e iniquidade.

Poderia muito bem eu dizer:
Senhor, como assim.
Se a mensagem nada vai fazer,
Pra que enviar a mim?
Pra quê me fazer correr em vão?

A palavra do Senhor não volta vazia.
volte ela com salvação, ou condenação.

Mas, não. Eis-me aqui é eis-me aqui.
Não farei como Jonas.
que ouviu e correu.
E mesmo diante do sucesso de Sua pregação
Se enfureceu.
Prontificarei-me, e mesmo sabendo do "fracasso"
Pre-determinado da mensagem, irei...
Pois o meu sucesso terei em cumprir a Vontade do Meu Rei.
Não sou eu quem dará os resultados.

Christopher Vicente 27-06-11

Nenhum comentário:

Postar um comentário