quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Ressonância


Ainda que outro não perceba
Ainda que eu, inutilmente,
Tente e veja

Eu bem sei
Que bem sabes bem
O que dentro de mim há

Eu bem sei
Que bem sabes bem
Que vês além
Do que eu queria mostrar

Eu bem sei
Que sabes bem
Que apesar de livre do mal
EU mesmo não posso arrancar

Sonda o meu coração
Dele examina sua intenção
Dessa mente a meditação
Dessas ações
A motivação

Com o teu amor
Com o teu fogo
Vem e queima tudo que é podre

Silêncio reflexivo 10 de jan

Não permistas, Oh Pai,
Que sozinho eu sofra
Ao conhecer as entranhar
Ao ver o interno dessa mente

Mas vem com Tua graça me consolar
Leva-me a saber quem sou
Diante de Tua perfeição
Traz-me crises, se necessário,
Deserto, se desejado,
Mas molda-me,
Transforma-me

Para que minha vida em Ti
Para que somente em ti
Eu possa ser feliz.

Medo tenho de mim
Ao ver quem é Christopher
E sua maldade
Confiança tenho em Ti
Ao saber quem é Deus
E da Sua Graça
Maior que meu mal
Maior que meu pecado.

Amo-te, Papai.

 Christopher Vicente
Poesia feita na Ressonância 10 de janeiro IPL 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário