segunda-feira, 28 de maio de 2012

Como você está, José?? Maria está mal!

Meu tempo anda muito escasso, de forma que não tenho disponibilidade para escrever sobre as ideias e temas que vem a mente, como fazia antigamente, e amava fazer. Mas, arrumei aqui 10min para escrever algo muito legal que vi nessa semana sobre relacionamento.

Estava eu indo para casa de minha linda e maravilhosa namorada, onde jantaríamos, e ajudaria ela na leitura de um texto - um tanto difícil. No caminho, feito a pé, encontro um colega de curso do francês. Ele é 'casado' com uma menina que também faz o curso. Naquele trecho da calçada, próximo a uma parada, estava escuro, mas, com esforço, identifique-o - quando ele vinha em minha direção entre as pessoas. Percebi que, como eu, ele estava com pressa, mas, por não tê-lo visto naquela semana no curso, perguntei-lhe (usarei pseudônimos para preservá-los): E ai, José, beleza? Como tu tá?

A resposta dele foi rápida e imediata, a resposta dele foi o que, quase instantaneamente, fez-me meditar:
"Christopher, não. Não estou bem". Ele já atravessando a rua e eu seguindo o meu caminho pergunto: "Por que, Brother"? Ele responde: "Porque Maria está doente". Na hora, pensei ser a sua filhinha, então respondi: "Ah, a sua filhinha"? Ele: "Não, não... Ana. É que o nome dela: Ana Maria. Por isso não estou bem"  - Eu pensava que fosse só Maria.

Bom, o que foi que me chamou a atenção nesse diálogo, que logo ao chegar na casa de minha namorada compartilhei com ela: perguntei-o se ELE estava bem. Perguntei sobre ELE, não sobre ELA. Contudo, para ele o estar bem está intrinsecamente ligado ao bem de sua amada. Ou seja, Estou bem quando ELA está bem. Estou triste quanto ELA está mal. Ele poderia estar bem, no que diz respeito à saúde, à vida acadêmica, ao trabalho, enfim.. a qualquer coisa, mas tudo isso não lhe traria bem estar se sua amada não estivesse igualmente bem.

Isso é um dos princípios de relacionamento. Fazê-la feliz, me faz feliz; vê-la feliz, dar-me alegria; vê-la mal, triste, em sufoco, deixa-me profundamente triste, em mal estar. Para um casal, mais precisamente, um casado (e namorados), entendo que (apesar de não ser casado, mas ter namorada): minha alegria está em função da alegria dela, assim como a dela está na minha.

Christopher Vicente

2 comentários:

  1. Sei como é, quem tem relação amorosa e é realizado com esta de uma forma que te faz sentir completo entende bem, amor verdadeiro é isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, Leonardo. É entender que entro num relacionamento para primeiramente, glorificar a Deus.. e como consequência disso, ter como objetivo fazer o outro feliz. :) Obrigado pelo comentário.

      Leonardo, eu o conheço? ehehe (é que não tem foto para saber).

      Excluir